C&A/ Divulgação
C&A/ Divulgação

Top Picks: Empresas voltadas para demanda doméstica voltam a ganhar espaço em carteiras

Entre os motivos para a estratégia, estão o preço dos papéis, em alguns casos visto como atrativo, e questões como o aumento da eficiência de algumas companhias

Renato Carvalho e Luísa Laval, O Estado de S.Paulo

30 de abril de 2021 | 21h00

A alta recente do dólar e o ciclo de recuperação de economias como China e Estados Unidos fizeram com que as exportadoras tivessem muito espaço entre as ações recomendadas neste início de 2021. No entanto, para o começo de maio, é possível notar uma tendência mais favorável para companhias e setores mais voltados para a demanda doméstica. Os motivos vão do preço dos papéis, em alguns casos visto como atrativo, a questões como o aumento da eficiência de algumas companhias.

Este é o caso, por exemplo, da reformulação feita na lista de recomendações da Ágora Investimentos de abril para maio. Empresas como JBS e Vale deram lugar para BR Distribuidora, C&A e EcoRodovias. A corretora trocou toda a sua carteira, que em maio será composta por BR Distribuidora ON, C&A ON, EcoRodovias ON, Itaúsa PN e Usiminas PNA.

Sobre a C&A, por exemplo, a Ágora enxerga potencial para expansão da margem e crescimento da densidade de vendas, "que acreditamos não estar refletido com precisão no preço atual das ações". A corretora também espera avanços na parceria da varejista com o Bradesco para serviços financeiros.

As perspectivas também parecem boas para a BR Distribuidora. "Nós acreditamos que a empresa continua a entregar uma história de retorno total positiva, com menos crescimento de lucro dependente de condições macro favoráveis (devido a iniciativas de corte de custos), bem como um rendimento potencial de dividendo de cerca de 6% para os próximos três anos", diz a equipe.

Outra carteira bastante voltada para o mercado doméstico em maio é a da Necton, composta por B3 ON, BRF ON, Lojas Renner ON, Neogrid ON e Notre Dame Intermédica ON.

Destaque também para o Banco Inter, que entrou em duas listas para o começo do mês. Na carteira semanal da Mirae Asset, Banco Inter Unit e Marfrig ON entraram nos lugares de Indústrias Romi ON e Weg ON.

A equipe da Mirae já previa números fortes para o Inter neste início de 2021, e a prévia operacional do primeiro trimestre confirmou essa tendência. A instituição superou a marca de 10 milhões de clientes, dobrou a originação de crédito imobiliário e mais que triplicou a de consignado. A Mirae espera a continuidade do crescimento para o restante do ano.

Na carteira mensal do Banco do Brasil Investimentos (BB-BI), Banco Inter Unit e Brasil Agro ON entraram nos lugares de Unipar Carbocloro PNB e Weg ON.

A Easynvest incluiu na sua lista para maio Cyrela ON e Taesa Unit nos lugares de BRF ON e Eneva ON. Sobre a Cyrela, a equipe da corretora lembra que a empresa tem um baixo endividamento, e boa distribuição de dividendos aos acionistas.

A Órama, em sua carteira semanal, trocou JBS ON e PetroRio ON pelo BDR de Aura Minerals e Petz ON. Sobre esta última, a equipe da corretora lembra que ela atua em um setor muito pulverizado, e que a abertura de capital trouxe uma vantagem competitiva. Além disso, a venda por canais digitais tem ajudado a impulsionar os resultados da companhia, como aconteceu no último trimestre de 2020.

A MyCap fez três mudanças, trocando Cyrela ON, Movida ON e Via Varejo ON por PetroRio ON, Portobello ON e Totvs ON.

A Ativa Investimentos fez somente uma troca, tirando Via Varejo ON para a entrada de GPA ON. O mesmo aconteceu na Guide Investimentos, que substituiu Totvs ON por Weg ON.

 
Tudo o que sabemos sobre:
C&aEcorodovias

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.