Cynhia Decloedt/Estadão
Cynhia Decloedt/Estadão

Top Picks: Inclusão do Inter no Ibovespa mostra potencial de bancos digitais, dizem analistas

Neste segmento, estão inclusos, além do Inter, Banco Pan e BMG, estes dois com histórico de atuação no modelo mais tradicional, mas que mudaram de estratégia e hoje são bancos digitais

Renato Carvalho, O Estado de S.Paulo

16 de abril de 2021 | 21h00

Os bancos com atuação mais forte no ambiente digital, fora do modelo tradicional de agências, têm apresentado crescimentos expressivos nos últimos trimestres. E a entrada da Unit do Banco Inter no Ibovespa, de acordo com a segunda prévia da carteira teórica que valerá a partir de maio, é um reflexo desse desempenho, segundo analistas.

Neste segmento, estão inclusos, além do Inter, Banco Pan e BMG, estes dois com histórico de atuação no modelo mais tradicional, mas que mudaram de estratégia e hoje são bancos digitais. Nesta semana, o BTG Pactual anunciou a aquisição da participação da Caixa Econômica Federal no Pan, movimento que, segundo analistas, vai impulsionar ainda mais os resultados do banco, que já vêm de melhoras consistentes.

O Banco Inter está entre as ações recomendadas pela Mirae Asset. Segundo a equipe da corretora, as prévias operacionais do primeiro trimestre de 2021 confirmam as expectativas de mais um ano de forte crescimento, especialmente na base de clientes. O Inter superou a marca de 10 milhões de correntistas, com crescimento superior a 100% em 12 meses. A originação de crédito cresceu 173% na comparação anual.

"Entendemos que ainda há uma grande demanda reprimida, com novos serviços e produtos financeiros a serem explorados, com tendência de crescimento e constante mutação", afirma Julia Monteiro, analista da MyCap. Ela afirma que a expansão deve acontecer não somente na base de clientes, mas também nas margens, gradualmente.

A analista da MyCap lembra ainda que a melhora dos serviços de internet, especialmente em cidades médias e pequenas, deve ajudar a impulsionar ainda mais o mercado para os bancos digitais. "Há ainda um vasto campo a ser explorado", afirma Monteiro.

Fernando Habda, estrategista de Pessoa Física da Santander Corretora, concorda que o ritmo de crescimento dos bancos puramente digitais impressiona. Mas mostra maior ceticismo em relação à continuidade deste cenário. "Tecnologia, legislação e confiança permitiram o forte crescimento dos bancos digitais. Isto vai continuar? Do mesmo modo que árvores não chegam ao céu, o crescimento irá diminuir, mas ainda estamos em uma fase de avanço forte", afirma.

Habda ressalta ainda que o segmento de bancos digitais precisa de aportes financeiros muito altos. "Em algum momento, as fintechs e os bancos digitais terão que achar a 'mina de ouro' para um crescimento sustentável".

Em relação às recomendações para a próxima semana, a XP trocou praticamente toda a sua carteira, mantendo somente Klabin Unit, que agora está acompanhada de Itaúsa PN, Randon PN, Rumo ON e Weg ON.

A Ativa Investimentos fez três trocas, retirando BRF ON, Hidrovias do Brasil ON e PetroRio ON para as entradas de CVC ON, Petz ON e Priner ON.

O Daycoval também trocou três ativos em sua lista, retirando Gerdau PN, Itaú Unibanco PN e São Martinho ON, e inserindo Banco do Brasil ON, Eneva ON e Sanepar Unit.

Outra que fez três alterações foi a MyCap, com as saídas de BRMalls ON, Even ON e PetroRio ON, e a seleção de Bradesco ON, Eternit ON e Movida ON para a próxima semana.

A Órama Investimentos trocou CSN ON e Marfrig ON por Metalúrgica Gerdau PN e PetroRio ON. A Guide trocou Gol PN por Totvs ON. E a Mirae também fez somente uma alteração, retirando Randon PN para a entrada de Vale ON.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.