Top Picks: Mesmo com dificuldades nas privatizações, estatais podem dar bons retornos

De acordo com profissionais do mercado, a Eletrobras é a que está mais próxima de uma privatização; mesmo assim, eles projetam que a operação se concretize somente no final de 2021

Renato Carvalho - O Estado de S.Paulo

Você pode ler 5 matérias grátis no mês

ou Assinar por R$ 0,99

Você pode ler 5 matérias grátis no mês

ou Assinar por R$ 0,99

Você leu 4 de 5 matérias gratuitas do mês

ou Assinar por R$ 0,99

Essa é sua última matéria grátis do mês

ou Assinar por R$ 0,99

No começo do governo Jair Bolsonaro, e também das novas gestões estaduais, o mercado tinha a expectativa de uma fila de privatizações que aconteceriam em um prazo relativamente curto. A estatal federal de energia Eletrobrás, a mineira Cemig e a paulista Sabesp eram as "favoritas", e as ações começaram a subir por conta dessa perspectiva. Passados quase dois anos, o cenário se alterou, e a venda do controle destas empresas se tornou menos provável, mas mesmo assim, os analistas se mostram otimistas com as empresas, mesmo após o período mais crítico da pandemia de covid-19.

Ver mais!

Nas carteiras recomendadas para a próxima semana, a MyCap fez três mudanças, retirando da lista BRMalls ON, Duratex ON e Locaweb ON para as entradas de B2W ON, Banco Inter PN e Movida ON.

A XP Investimentos também fez três mudanças, com as saídas de Ambev ON, Carrefour ON e Eztec ON, substituídas por Cemig PN, MRV ON e Via Varejo ON.

A Ativa fez duas alterações, saindo Anima ON e Raia Drogasil ON e a seleção de Cia. Hering ON e Ultrapar ON. A Guide trocou Cogna ON e Itaúsa PN por B3 ON e JBS ON.

A Mirae Asset retirou da lista Banco Inter Unit e Magazine Luiza ON para as entradas de JBS ON e Randon PN. A Terra Investimentos trocou JBS ON por Via Varejo ON.

Tudo o que sabemos sobre:

Encontrou algum erro? Entre em contato