Epitácio Pessoa/Estadão
Epitácio Pessoa/Estadão

Top Picks: Setor de agronegócios tem boas perspectivas, com destaque para Cosan e São Martinho

Especialistas se debruçam sobre as produtoras de açúcar e etanol, principalmente após os resultados trimestrais positivos e o bom desempenho dos produtos no exterior

Renato Carvalho, O Estado de S.Paulo

12 de fevereiro de 2021 | 21h00

O segmento de agronegócios é constantemente apontado pelos analistas como um dos mais sólidos da Bolsa - e a percepção foi comprovada novamente pelo desempenho das ações das empresas da área, mesmo em um ano complicado como 2020. Papéis como Terra Santa e SLC, por exemplo, acumulam avanços expressivos. Produtora de soja, milho e algodão, a SLC, por exemplo, apresentou alta de quase 100%, em um ano. Mas de modo geral, os profissionais do mercado preferem se debruçar principalmente sobre as produtoras de açúcar e etanol, como Cosan e São Martinho.

Em relatório sobre os resultados da São Martinho no quarto trimestre, o Banco do Brasil Investimentos (BB-BI) destacou o forte aumento nas vendas de açúcar. Com o bom momento do produto nos mercados internacionais e uma boa gestão de custos, a companhia conseguiu boa geração de caixa.

Henrique Esteter, analista da Guide Investimentos, se mostra bem otimista com o setor. "Seguimos acompanhando os preços dos grãos, açúcar e proteínas em patamares elevados, enquanto o câmbio contribui para que os produtos brasileiros ganhem competitividade no mercado internacional", diz.

Especificamente sobre as produtoras de açúcar e álcool, Esteter afirma que até mesmo o petróleo é um fator auxiliar à área. "Há uma tendência favorável dos preços do petróleo observada no cenário internacional, já sendo negociado acima dos US$ 60 o barril, o que contribui para revisões de preços do etanol, ao mesmo tempo em que o açúcar mantém sua tendência de alta, ao contrário do que ocorria alguns anos atrás", afirma.

Ricardo Peretti, estrategista de renda variável da Santander Corretora para Brasil e América Latina, aponta estes mesmos fatores como favoráveis para as empresas produtoras de açúcar e álcool. A ação preferida é São Martinho, principalmente por conta do retorno esperado de novos projetos anunciados recentemente, o preço ainda razoável para compra e um bom nível de dividendos para 2021.

A Terra Investimentos tem uma estratégia um pouco diferente, e dá destaque dentro do segmento de agronegócios a SLC Agrícola. "A companhia conseguiu manter o seu bom nível de rentabilidade em 2020. O dólar ainda em nível elevado e a expectativa de maiores safras tendem a manter os bons resultados da empresa ao longo de 2021", diz o analista Regis Chinchila.

No que diz respeito às alterações nas carteiras recomendadas, a Guide manteve somente Vale ON em relação à semana passada, que agora será acompanhada de Cyrela ON, Gerdau PN, Klabin Unit e PetroRio ON.

A MyCap também fez quatro mudanças em sua lista, mantendo somente Magazine Luiza ON. Entraram na lista Hypera ON, Itaú Unibanco PN, Locaweb ON e Movida ON.

A Mirae Asset fez três trocas, retirando Cosan ON, Magazine Luiza ON e Usiminas PNA para as entradas de Gerdau PN, Petrobrás PN e Weg ON.

A Ativa Investimentos retirou Copel PNB e Porto Seguro ON para as entradas de Embraer ON e Rede D'Or ON. A XP também fez duas trocas, com as saídas de Banco Bmg PN e Magazine Luiza ON para as entradas de Fleury ON e Marfrig ON.

Por fim, a Órama Investimentos trocou Arezzo ON e Hapvida ON por B3 ON e JBS ON. Sobre a JBS, o time da Órama afirma que a manutenção do dólar valorizado frente ao real beneficia muito a companhia. Com os volumes de exportação de proteína animal em alta, a tendência é que a empresa continue se beneficiando deste cenário. Veja a lista: 

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.