Taba Benedicto/Estadão
Taba Benedicto/Estadão

Mercado

d1000 faz IPO, ações caem 12% e investidor é penalizado: o que deu errado?

Top Picks: Varejo é o grande destaque nas carteiras recomendadas para o início de junho

Os analistas enxergam o bom desempenho das vendas online e projetam que as empresas do setor terão uma recuperação mais rápida no pós-coronavírus

Renato Carvalho, O Estado de S. Paulo

29 de maio de 2020 | 21h00

O setor de varejo movimentou boa parte das carteiras recomendadas pelas corretoras para a primeira semana de junho ou para o mês. De modo geral, os analistas enxergam o bom desempenho das vendas online, e projetam que as empresas do segmento apresentarão recuperação mais rápida após a crise provocada pela pandemia de covid-19. Os resultados do primeiro trimestre também foram considerados sólidos.

As recomendações estão diluídas em várias varejistas, com perfis diversos entre si. A Guide Investimentos, por exemplo, trocou Lojas Americanas PN por Centauro ON para a próxima semana. "No curto prazo, avaliamos que as plataformas de comércio online podem se beneficiar de uma aceleração na mudança de comportamento do consumidor, que deve ampliar a participação em compras online em função das medidas de distanciamento social", afirma o analista Luis Sales.

Alvaro Bandeira, economista-chefe do banco digital Modalmais, explica que a presença da Centauro na carteira recomendada também se deve ao e-commerce bem desenvolvido da companhia, e além disso, afirma que "o setor de varejo deve se recuperar mais rápido que outros".

A Mirae Asset colocou Via Varejo ON em sua lista. O analista Pedro Galdi cita o resultado operacional da companhia no primeiro trimestre, acima do esperado. "Isso mostra que a empresa vem adotando praticas corretas e esperamos melhora no segundo trimestre e ao longo de 2020, principalmente nas vendas do e-commerce. Esperamos retomada das vendas físicas a partir do terceiro trimestre".

O Santander também fez mudanças envolvendo varejistas, trocando Lojas Renner ON por Lojas Americanas PN. Segundo Renato Chanes, estrategista de pessoa física da Santander Corretora, a troca pretende capturar melhor as tendências do e-commerce. Ele cita ainda o descolamento entre a ação da Lojas Americanas e de sua controlada, a B2W.

Por fim, ainda no mesmo segmento, a MyCap incluiu Lojas Marisa ON em sua carteira para a próxima semana, juntamente com Bradespar PN, nos lugares de B3 ON e Hypera ON.

A Vale também é um destaque para a próxima semana, com a entrada em duas carteiras. A Ativa explica que a seleção se deu por análise gráfica, já que a ação trocou de tendência e pode buscar novos patamares de preço.

A Guide também cita o preço atual da ação como atrativa para inserir a ação da Mafrig ON em sua carteira, no lugar de Mafrig ON. E assim, a corretora mantém a exposição em exportadoras e no setor de mineração, que segue com boas perspectivas.

Além das duas trocas já citadas, a Guide fez outras duas, retirando Marfrig ON e Gerdau PN para as entradas de Movida ON e Rumo ON. O Santander, além da troca de varejistas, retirou JBS ON e Hapvida ON por Mafrig ON e Sabesp ON.

A Ativa tirou de sua carteira Bradesco PN, CPFL ON e Magazine Luiza ON para selecionar Cemig PN, Movida ON e Vale ON. O Daycoval trocou GPA ON e Via Varejo ON por Suzano ON e Sanepar Unit.

A Mirae fez duas substituições, de MRV ON e Rumo ON por Petrobrás PN e Via Varejo ON. Por fim, a XP Investimentos fez uma troca, de Marfrig ON por JBS ON. Sobre esta última, a corretora aponta a sólida demanda por carnes no Brasil e nos Estados Unidos, e o dólar valorizado ante o real, o que impulsiona as receitas com exportações.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.