Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Tóquio cai 2% com preocupações sobre China e EUA

Preocupações sobre as economias da China e dos EUA estarem perto de um aperto monetário derrubaram a Bolsa de Tóquio na volta do feriado de ontem. A China e os EUA são os principais consumidores das mercadorias japonesas. O Nikkei-225 teve a segunda maior queda em pontos do ano, recuando 242,50 pontos (2%), para 11.761,79 pontos, e completando três sessões seguidas em baixa. O Topix, índice amplo que reflete os movimentos de todos os ativos na primeira sessão, cedeu 20,61 pontos (1,7%), para 1.186,31 pontos. As especulações sobre o aumento dos juros na China cresceram desde o início da semana, após notícias de que a Comissão Regulatória do Sistema Bancário pediu aos bancos comerciais para que interrompessem os novos empréstimos antes do feriado prolongado da próxima semana. Quanto aos EUA, a percepção de que o aperto monetário será antecipado se intensificou após o relatório do PIB do primeiro trimestre ter mostrado que o índice de preços de consumo pessoal - um índice monitorado com atenção pelo Fed - subiu 3,2%, bem acima da alta de 1% do quarto trimestre.Essas preocupações minaram o interesse de compras dos investidores, principalmente de estrangeiros. Antes da abertura da sessão, as contas offshore de corretoras estrangeiras colocaram ordens de vendas de 32,7 milhões de papéis, um volume que superou a marca de 30 milhões pela primeira vez desde 19 de março.Os grupos mais afetados por vendas foram as empresas marítimas, as fabricantes de maquinários e as siderúrgicas, cujos lucros têm sido impulsionados pela demanda na China. A Mitsui O.S.K. Lines despencou 8,3%, a Hitachi Construction Machinery perdeu 8,9% e a Nippon Steel, 6,1%.Outro destaque, mas no campo positivo, foi da Mitsubishi Motors, que disparou 11,4%, após o Nihon Keizai Shimbun informar que as empresas Mitsubishi planejam uma reestruturação e fizeram um pedido oficial de ajuda financeira para o grupo Toyota. O Nikkei-225 rompeu a sua tendência de alta desde fevereiro, com as análises técnicas implicando que o índice deve permanecer fraco no curto prazo. O mercado deve seguir monitorando como a China conduzirá o seu insustentável crescimento, mas os fundamentos econômicos do Japão devem evitar quedas prolongadas das ações. Mais um dado evidenciando o bom momento da economia foi divulgado hoje. A taxa de desemprego no país caiu de 5%, em fevereiro, para 4,7%, em março, o menor nível em três anos. O mercado de Tóquio só voltará a funcionar na quinta-feira.

Agencia Estado,

30 de abril de 2004 | 08h41

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.