Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Tóquio fecha com maior alta desde 16 de março de 2011

 Dólar forte ajudou a sustentar a onda de compra, liderada pelo setor financeiro e por exportadores

10 de junho de 2013 | 09h51

As ações na Bolsa de Tóquio fecharam em alta, atingindo o maior ganho porcentual em mais de dois anos nesta segunda-feira. O dólar acentuadamente mais forte ajudou a sustentar a onda de compra, liderada pelo setor financeiro e exportadores.

O índice Nikkei subiu 636,67 pontos, ou 4,9%, para 13.514,20 pontos, quebrando uma série de baixas de três dias e recuperando o terreno perdido em meio a sessões altamente voláteis da semana passada. O índice teve a maior alta desde 16 de março de 2011.

Traders ressaltaram, porém, que os níveis de participação não foram excepcionalmente elevados, levando em consideração o avanço do mercado. O volume de negociações ficou em 3,25 bilhões de ações - a sessão mais leve desde 7 de maio - sob o valor de 2,576 trilhões de ienes.

O índice Nikkei de contratos futuros, que fecha alguns minutos após a conclusão do mercado à vista, teve uma alta ainda maior. O contato trimestral para junho, com vencimento nesta sexta-feira, juntamente com opções mensais do Nikkei, subiu 7,4% para 13.620 pontos na Bolsa de Osaka.

As ações saltaram logo na abertura do pregão depois que dados do mercado de trabalho norte-americano, divulgados na sexta-feira, mostraram que os EUA continuam a criar postos de trabalho, mas não em um ritmo rápido o suficiente para elevar as preocupações de que Federal Reserve possa diminuir o ímpeto de sua política de flexibilização monetária.

Os dados dos EUA alimentaram a alta do dólar, levando a moeda norte-americana para um nível acima de 98 ienes na segunda-feira, de algo em torno de 96 ienes na sexta-feira. Por volta do horário de fechamento da Bolsa de Tóquio, o dólar estava em 98,28 ienes.

Segundo analistas, o mercado está ansioso para receber o resultado da reunião de política monetária do Banco do Japão (BoJ, na sigla em inglês), que deve ser divulgado nesta terça-feira.

Além da decisão do BoJ, traders disseram que a reunião do Fed nesta semana, juntamente com o vencimento dos derivativos significa que existem variáveis demais em jogo para permitir que uma grande quantidade dinheiro novo entre no mercado.

Nesta segunda-feira, pesos pesados foram os maiores beneficiários do salto do mercado. O SoftBank subiu 9,5%, Fast Retailing ganhou 3,1% e a KDDI fechou em alta de 6,6%.

O SoftBank também se beneficiou de uma reportagem da Reuters de que a empresa teria intensificado as conversações com a Deutsche Telekom para uma potencial compra da T-Mobile USA, a quarta maior operadora de telefonia móvel dos EUA, caso a tentativa do SoftBank de compra da Sprint Nextel fracasse.

Entre as empresas do setor financeiro, a Mitsubishi UFJ Financial Group ganhou 5,8% e a Daiwa Securities Group subiu 6,6%. Além disso, a Toyota Motor subiu 8,6% e a Fuji Heavy Industries ganhou 13%. Fonte: Dow Jones Newswires.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.