Tóquio fecha em -0,13% com ny e preocupação com terror

A Bolsa de Tóquio fechou perto da estabilidade, com os atentados na Turquia e as perdas de ontem em Wall Street garantindo os argumentos para que os investidores reduzissem posições no mercado japonês. O Nikkei-225 caiu 12,87 pontos (0,13%), para 9.852,83 pontos, após ter subido 251,10 pontos. A queda, no entanto, foi amortecida pela discreta demanda por ações de empresas automobilísticas, de bancos e de companhias orientadas para o mercado doméstico. O Topix, índice com abrangência mais ampla e que dilui o peso dos papéis de bancos e de alta tecnologia, subiu 2,76 pontos (0,28%), para 974,45 pontos. Entre os papéis que fecharam em alta estavam os da Nippon Steel, o mais ativos do dia, que subiram 4,5%. A Honda ganhou 0,2% e o Mizuho Financial Group avançou 3%. As notícias de que um ataque com mísseis de pequeno porte ao Hotel Palestine, em Bagdá, se somaram às preocupações sobre o terrorismo global. Os soldados norte-americanos no local afirmaram que uma granada lançada pelo míssil atingiu o 16º andar do hotel. Em razão de feriados nacionais, os mercados japoneses e norte-americanos só terão quatro dias de negócios na próxima semana. As ações de alta tecnologia caíram, apagando parte dos ganhos de ontem. A Tokyo Electron caiu 1,4% e a NEC, 3,2%. O volume negociado na primeira etapa da sessão foi estimado em 1,01 bilhão de ações, abaixo do 1,07 bilhão de quinta-feira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.