Tóquio fecha em +1,9%

A Bolsa de Tóquio fechou em alta, com os índices Nikkei-225 e o Topix recuperando-se para acima dos níveis importantes de 10 mil pontos e 1 mil pontos, respectivamente, com os investidores retomando posições em alta tecnologia, exportadoras e nos bancos. Embora o volume negociado tenha caído, em razão da saída de estrangeiros com a aproximação do feriado nos EUA, os investidores institucionais domésticos colocaram ordens de compra das principais ações. O Nikkei-225 subiu 184,63 pontos (1,9%), para fechar em 10.144,83 pontos, superando a marca de 10 mil pontos pela primeira vez desde 14 de novembro. O Topix, índice de abrangência maior e que acompanha os movimentos de todos os ativos da primeira sessão, avançou 13,91 pontos (+1,4%), para 1.002,02 pontos, também terminando acima de 1 mil pontos pela primeira vez desde 14 de novembro. "Após o forte fechamento dos futuros do Nikkei e da estabilidade do dólar ao redor de 109 ienes, houve compras de alta tecnologia e de exportadoras para as cestas dos investidores institucionais", comentou o vice-gerente-geral da Nikko Cordial Securities, Hiroichi Nishi. Entre as ações de alta tecnologia, as da Tokyo Electron subiram 3,4%; as da Advantest, 2,6% e as da Trend Micro escalaram 8,3%. Os papéis do Softbank ganharam 3,1% e a Yahoo Japan, 10%.Os papéis dos bancos fecharam em alta, repercutindo os robustos lucros anunciados pelas instituições no primeiro semestre fiscal encerrado em 30 de setembro. As ações do Mitsubishi Tokyo Financial subiram 3,9%; as do Mizuho, 4,5% e as do Sumitomo Mitsui, 3,7%. O UFJ terminou o dia com alta de 2,1%. O analista da Goldman Sachs, David Atkinson, afirmou que os balanços dos bancos trouxeram dados suficientes para desagradarem os pessimistas e, simultaneamente, notícias boas que encorajaram os otimistas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.