Juros

E-Investidor: Esperado, novo corte da Selic deve acelerar troca da renda fixa por variável

Tóquio fecha em alta de 1,3%

Uma seqüência de dados econômicos fortes e os ganhos de ontem em Wall Street impulsionaram as compras de ações de varejistas e de outros setores na Bolsa de Tóquio, que fechou no maior nível em três semanas. O índice Nikkei-225 subiu 143,54 pontos (1,3%), fechando em 11.309,57 pontos, completando três dias em alta. O Topix, índice de abrangência maior, terminou a sessão em 1.142,38 pontos, com valorização de 15,74 pontos (1,4%). "Foi difícil encontrar algo negativo sobre os indicadores dessa manhã", afirmou o estrategista de ações da Shinko Securities, Tsuyoshi Segawa. O volume negociado cresceu de 1,017 bilhão de ações na primeira etapa da sessão de ontem, para 1,388 bilhão de papéis no mesmo intervalo de hoje. As companhias mais sensíveis ao bom desempenho da economia doméstica receberam grande volume de compras. A Ito-Yokado subiu 3,2%; a Aeon, 2,9% e a Tokyu Department Store valorizou-se 3,7%. Os bancos também tiveram um dia positivo. O Mitsubishi Tokyo Financial ganhou 3,4% e o Mizuho Financial Group. 3,5%. O Sumitomo Mitsui Financial terminou em alta de 2,1%.Os papéis incorporados ao portfólio do índice MSCI Japão atraíram compras. O novo portfólio entrou em vigor após o fechamento da sessão. Entre as 31 ações incorporadas ao índice, o Shinsei Bank avançou 7%. A instituição anunciou, no meio da manhã, resultados bons para o ano fiscal terminado em março, mas a reação imediata aos números foi apática. Outros papéis que reagiram à inclusão no MSCI foram os da Kobe Steel e Kuraya Sanseido, que subiram 3,9% e 7,4%, respectivamente. A NOK terminou a sessão com valorização de 5,6% e a Yahoo Japan, 6,4%. As ações de tecnologia fecharam, em sua maioria, em alta. A Hitachi evoluiu 2,3% e a Fujitsu terminou o pregão com ganho de 2,2%. As fabricantes de microchips reagiram em alta à notícia de ampliação dos investimentos em capital da sul-coreana Samsung. A Tokyo Electron somou 4,5% e a Advantest, que fabrica equipamentos de teste de chips, avançou 2,8%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.