Tóquio fecha em queda de 1,2%

A bolsa de Tóquio fechou com o índice Nikkei 225 em queda de 1,17% ou 124,44 pontos, em 10.504,54 pontos. A debilidade dos principais índices acionários de Wall Street na sexta-feira atingiu as ações japonesas do setor de tecnologia e os investidores receberam pouco incentivo do resultado das eleições gerais do país, que mantiveram no poder a coalizão liderada pelo primeiro-ministro Junichiro Koizumi. Esse resultado não trouxe surpresas. O estrategista de ações Naoki Kamiyama, do Morgan Stanley, afirmou que as eleições não vão provocar uma alteração da política do governo ou modificar os planos do ministro de bancos Heizo Takenaka de reformar o sistema financeiro, já que todos os membros do gabinete de Koizumi foram reeleitos. "A vitória da coalizão é suficiente para manter normais as operações do gabinete de Koizumi", disse o analista Stefan Worrall, do Credit Suisse First Boston em Tóquio. O foco renovado em lucros corporativos agora que as eleições já passaram prejudicou companhias como a Nikon, que divulgou uma estimativa de lucro decepcionante. As ações do grupo despencaram 8,2%. Novas preocupações sobre as perspectivas de lucros dos bancos também pressionaram os papéis desse setor. Mizuho Financial caiu 5,2% e Mitsubishi Tokyo Financial recuou 4,8%. Sumitomo Financial perdeu 6,8%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.