Tóquio fecha em queda de 1% com exportadoras pressionadas por iene

Setores de eletrônicos, transportes marítimos e matérias-primas foram os mais afetados no pregão 

Hélio Barboza, da Agência Estado,

25 de fevereiro de 2010 | 07h16

A Bolsa de Tóquio fechou em queda, uma vez que as grandes exportadoras, como Sony e Panasonic, afundaram ante a valorização implacável do iene. A alta da moeda derrubou a Bolsa depois de um rali na abertura do pregão, provocado pela elevação de ontem nos índices acionários de Nova York. O Nikkei 225 caiu 96,87 pontos, ou 1%, e fechou aos 10.101,96 pontos, perto da mínima.

 

"As preocupações com o fortalecimento do iene não vão se dissipar logo", disse o estrategista Tsuyoshi Kawata, da corretora Nikko Cordial. A pressão vendedora sobre o dólar está crescendo, avisou Kawata, já que o atual cenário de baixas taxas de juros nos EUA não deve mudar tão cedo. Segundo o analista, se a sustentação psicológica dos 10 mil pontos desmoronar, a mínima de fechamento de 2010, de 9.932,90 pontos, será considerada como a próxima linha de suporte.

 

Os setores de eletrônicos, transportes marítimos e matérias-primas foram particularmente afetados nesta quinta-feira. Sony perdeu 2,1%, Panasonic caiu 1,9%. O dólar chegou a recuar para 89,47 ienes durante o dia, em reação às declarações do presidente do Federal Reserve (Fed, banco central dos EUA), Ben Bernanke, sobre a intenção de manter as taxas de juros próximas de zero por pelo menos alguns meses.

 

"Para quem tinha vendido ações dos EUA na semana passada diante do aumento da taxa de redesconto, o depoimento de Bernanke serviu de pretexto para cobrir vendas a descoberto", disse o diretor operacional da Tachibana Securities, Kenichi Hirano. Contudo, ele afirmou também que, para os investidores que prestam atenção aos fundamentos, as preocupações com o ritmo da recuperação econômica norte-americana ganharam mais destaque depois da divulgação, na quarta-feira, do dado fraco sobre a venda de imóveis nos EUA.

 

Entre as ações ligadas a matérias-primas, a transportadora marítima Nippon Yusen cedeu 1,5% e a Mitsui O.S.K. Lines perdeu 1,2%.

 

As ações da Toyota recuaram 0,2% depois de terem aberto em alta de 2,2%, com o alívio que se seguiu ao depoimento do presidente da montadora, Akio Toyoda, ao Congresso dos EUA, no qual ele pediu desculpas pelos problemas detectados nos carros da empresa. Os operadores do mercado, porém, ainda estão cautelosos com os papéis da Toyota, enquanto esperam os números das vendas de fevereiro. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Bolsa, Tóquio, queda

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.