Renda extra

Fabrizio Gueratto: 8 maneiras de ganhar até R$ 4 mil por mês

Tóquio sobe 1,0%, maior nível desde agosto de 2001

A bolsa de Tóquio fechou com o índice Nikkei 225 em alta de 1,02%, ou 121,38 pontos, em 12.079,70 pontos, o maior nível desde agosto de 2001 e com o maior volume de negociações em quatro anos. Segundo operadores, a superação da resistência de 12 mil pontos abre espaço para mais ganhos. A valorização do dólar, que subiu mais de um iene, impulsionou os papéis de companhias exportadoras. Advantest fechou em alta de 2,4%, e Tokyo Electron subiu 2,5%. Kyocera reverteu as quedas do começo do pregão e fechou com ganho de 1,5%. Como os sinais técnicos ainda não indicam que o mercado acionário está superaquecido, "é uma questão de tempo até que o Nikkei tenha os 12 mil pontos como nível de suporte", disse o estrategista sênior da Okasan Securities, Tetsuya Ishijima. O diretor de pesquisa de investimento da Marusan Securities, Masaru Ueda, disse que os pequenos ganhos de outras blue chips, como de fabricantes de automóveis, sinalizam que a "pressão psicológica" em torno de 12 mil pontos é forte para o Nikkei. As ações da Toyota avançaram 1,3%, as da Nissan subiram 1,6% e as da Honda ganharam 1,3%. O analista Ishijima disse que os balanços de operadoras de supermercados e as perspectivas para o atual fiscal serão acompanhados pelos investidores. No setor varejista, as ações da Aeron subiram 2,2%. Os bancos e companhias exportadoras também registraram fortes ganhos no pregão de hoje. Segundo operadores, os papéis desses grupos estão com preço atraente, depois das últimas correções. Ambos os setores são favorecidos pelas expectativas de continuação do crescimento econômico. Mizuho Financial subiu 6,8%, enquanto UFJ Holdings ganhou 6,3%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.