Toshiba desiste de fábrica no Brasil, diz Sérgio Cabral

A Toshiba não vai mesmo instalar uma fábrica de semicondutores no Brasil, apesar de ter assumido compromisso nesse sentido quando o governo brasileiro adotou o padrão japonês para a televisão digital no País. A informação é do governador do Rio, Sérgio Cabral, que está no Japão mantendo contatos com empresas japonesas, visando a atrair investimentos para o Estado do Rio. Segundo nota divulgada pelo governo do Rio, Cabral disse que conversou com a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, sobre a questão e a ministra explicou a Cabral as negociações nesse sentido."Estive com a direção da Toshiba na quarta-feira, aqui em Tóquio, e eles me confirmaram a desistência (de instalação da fábrica no Brasil)", afirma Cabral, na nota. "Conversei com a ministra Dilma e pude compartilhar o sentimento de frustração quanto à falta de reciprocidade à adoção do padrão de TV digital japonês. Como contrapartida, a Toshiba ficou de instalar no Brasil uma fábrica de semicondutores e não cumpriu o trato", complementou o governador, na nota.Na avaliação de Cabral, o comportamento da Toshiba prejudica outras empresas daquele país interessadas em conseguir contratos no Brasil, como é o caso do trem-bala, entre o Rio de Janeiro e São Paulo. Cabral disse que a ministra Dilma irá ao Japão em abril para tratar dessa reciprocidade entre os dois países. Cabral visitou hoje as empresas Sumitomo, Mitsui, Mitsubishi Heavy Industries e Japan Railway, que estão interessadas em demonstrar seus projetos para o trem de alta velocidade. "A sugestão é uma receita para o projeto do trem-bala japonês recuperar fôlego junto ao governo brasileiro", acrescentou o governador.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.