Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Total de endividados em SP cai para 48% em fevereiro

O total de endividados na cidade de São Paulo caiu para 48% em fevereiro. Na comparação com janeiro, o decréscimo foi de 5 pontos porcentuais, enquanto ante janeiro de 2007 a queda representou 13 pontos porcentuais. Já no que se refere ao nível de inadimplência (consumidores com contas em atraso), o índice registrou 32%, queda de 1 ponto porcentual em relação a janeiro e de 8 pontos porcentuais na comparação com fevereiro de 2007.Os dados são da Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor, apurada mensalmente pela Federação do Comércio do Estado de São Paulo (Fecomercio-SP). Segundo a entidade, a queda no nível de endividamento em fevereiro é reflexo da expansão da oferta de crédito e da renda, que facilitam o pagamento das dívidas adquiridas no final do ano.De acordo com a pesquisa, há mais paulistanos com dívidas na faixa de rendimentos até três salários mínimos (53%). Já entre os consumidores que ganham de três a dez salários, a porcentagem de endividados é de 51%, enquanto entre os que ganham acima de dez salários mínimos, o índice representou 42%.A faixa dos consumidores que ganham até três salários mínimos também respondeu por 45% dos inadimplentes, contra 31% dos que ganham de três a dez salários mínimos e 19% entre os que possuem renda superior a esse patamar.A pesquisa apurou que a falta de controle financeiro foi apontada por 37% dos consumidores como principal motivo da inadimplência, seguida pelo desemprego (27%). De acordo com a Fecomercio-SP, o cartão de crédito continua sendo o grande vilão das dívidas, apontado por 47% dos consumidores, seguido pelos carnês (20%). Sobre a despesa que mais afetou as dívidas atuais dos consumidores entrevistados, 16% apontaram os gastos com vestuário, seguidos por alimentação (13%) e eletrodomésticos (12%).

ANA LUÍSA WESTPHALEN, Agencia Estado

11 de fevereiro de 2008 | 12h24

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.