Total de famílias endividadas caiu em junho, aponta FecomercioSP

De maio para o último mês, índice recuou de 57,1% para 53,5% em São Paulo; em 12 meses, no entanto, houve aumento de 4,8 pontos

Renan Carreira, da Agência Estado,

10 de julho de 2013 | 14h17

SÃO PAULO - O número de famílias paulistanas endividadas recuou de 57,1% em maio para 53,5% em junho, de acordo com a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP).

No entanto, o nível de endividamento subiu 4,8 pontos porcentuais na comparação com junho de 2012, quando era de 48,7%. Segundo a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), em números absolutos, o total de famílias endividadas caiu de 2,04 milhões em maio para 1,92 milhão em junho.

Para a FecomercioSP, "a primeira queda do endividamento nos últimos três meses demonstra que o consumidor está conseguindo estabilizar seu orçamento familiar, impactado pelo efeito inflacionário de alta verificado no mesmo período, principalmente nos preços dos alimentos".

A oscilação da inflação nos próximos meses, de acordo com a FecomercioSP, deve ser determinante para o recuo ou não do endividamento. A entidade cita que, de um lado, a expectativa de uma boa safra para o restante do ano deve impactar na redução do preço de alguns produtos e colaborar para a diminuição do endividamento nos próximos meses; de outro, a desvalorização do real ante o dólar deve impactar o preço dos produtos e insumos importados e colocar pressão na inflação nos meses seguintes. "Esse cabo de guerra afeta a confiança do consumidor e seu poder de compra."

O endividamento, de acordo com a pesquisa, é maior no grupo de famílias que ganham até dez salários mínimos (54,8%), no qual houve queda de 2,8 pontos porcentuais na passagem de maio para junho, enquanto nas famílias que ganham mais de dez salários mínimos o endividamento foi para 39,4%, queda de 5,7 pontos porcentuais.

Inadimplência. O número de famílias com contas em atraso recuou de 16,4% em maio para 14,6% em junho. Na comparação com junho de 2012, a queda foi de 5,7 pontos porcentuais, quando era de 20,3%.

Tudo o que sabemos sobre:
inadimplência

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.