Total de fundos de ações nota ´A´ cai em outubro

A quantidade de fundos de ações que receberam nota A caiu em outubro, de acordo com o rating elaborado pelo Ibmec Educacional para a Agência Estado. Das 305 carteiras analisadas, 77 obtiveram classificação máxima. Em setembro, esse resultado ficou em 84, numa base total de 304 fundos. Analisando a proporção dos números, a fatia de produtos com conceito A recuou de 27,63% para 25,25% de um mês para o outro. Segundo o coordenador da pesquisa, professor Antônio Zoratto Sanvicente, foram promovidos de ratings inferiores para a nota A apenas nove fundos em outubro. Em setembro, foram 21 fundos. Entre os produtos de ações que passaram para "A" em outubro estão o Safra Multi Dividendos e o Boston Small Cap Valuation FIA. No período, a aposta comum na carteira dos dois fundos foram os papéis da Caemi. Vale beneficia na avaliação Para o gestor de renda variável do Safra, Valmir Celestino, a companhia acabou se beneficiando do parecer favorável da Comissão da União Européia em relação à compra pela Vale do Rio Doce e pela japonesa Mitsui. Ele destacou ainda que a Caemi costuma distribuir bons dividendos a seus acionistas, motivo pelo qual está no portfólio do Multi Dividendos, que prioriza investimentos desse tipo. O diretor de renda variável da BankBoston Asset Management, Júlio Ziegelmann, disse ainda que existe a possibilidade de a Vale fazer uma oferta pública para comprar as ações da Caemi em poder do mercado, com o objetivo de fechar o capital da empresa. Os gestores destacam que, mesmo que a oferta não ocorra no curto prazo, as ações estão depreciadas e são atrativas. Apesar de concordarem em relação à Caemi, os gestores têm opiniões diferentes em relação ao comportamento da Bovespa. Celestino, do Safra, está otimista e acredita que a Bolsa paulista tem grandes chances de chegar aos 14 mil pontos no fim do ano. "Em novembro, a bolsa subiu bastante, e realizou parte dos ganhos, mas tem espaço para subir até o final de dezembro." Na avaliação de Júlio Ziegelmann, do Boston, a Bovespa é uma boa aplicação para o investidor que dispuser de tempo. "No longo prazo, a Bolsa está barata, mas no curto e médio prazos o cenário continua arriscado", afirmou. O Rating AE/Ibmec classifica os fundos de ações com patrimônio superior a R$ 1 milhão, considerando prêmio e volatilidade. Segundo a metodologia do professor Sanvicente, o desempenho dos fundos é analisado em um período móvel de 24 meses.

Agencia Estado,

03 Dezembro 2001 | 15h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.