Total de tarifas bancárias supera orçamento de Estados e DF

Estudo divulgado nesta quinta-feira pelo Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região apontou que a soma do valor arrecadado por meio de tarifas por sete dos maiores bancos do País, em 2005, superou o orçamento de 25 Estados brasileiros, mais o Distrito Federal. De acordo com o levantamento, juntos, Banco do Brasil, Caixa, Bradesco, Itaú, Unibanco, Santander/Banespa e Nossa Caixa, cobraram de seus clientes R$ 31 bilhões pela prestação de serviços, montante inferior apenas ao orçamento do Estado de São Paulo (R$ 65,724 bilhões), em 2004, ano utilizado como referência pelo sindicato, com base na mais recente pesquisa consolidada do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea).No documento distribuído pelos bancários, que menciona um hipotético "Estado dos Banqueiros", a arrecadação com tarifas, atingiria, por exemplo, um valor muito mais alto que o orçamento do Estado do Rio de Janeiro, segundo colocado em arrecadação (R$ 27,502 bilhões).O mesmo valor, de R$ 31 bilhões, pagos pelos clientes a esses sete maiores bancos em 2005, correspondeu à soma dos recursos orçamentários de 12 Estados (R$ 28,823 bilhões) da União, ainda com base em números do Ipea: Amapá, Acre, Alagoas, Maranhão, Mato Grosso do Sul, Piauí, Paraíba, Roraima, Rondônia, Rio Grande do Norte, Sergipe e Tocantins.Em 2004, o valor arrecadado pelos bancos foi também expressivo, mas inferior. De acordo com o sindicato, as sete instituições obtiveram R$ 24,801 bilhões com as tarifas de serviços.FebrabanA assessoria de imprensa da Federação Brasileira dos Bancos (Febraban) informou que a entidade classificou como "descabida" a comparação feita pelo sindicato, já que parte da arrecadação das instituições com as tarifas é utilizada para o pagamento do salário dos funcionários, que servem à população.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.