Toyota cria loja-café para conter moda anticarro

Empresa monta estratégia para vender carro de luxo Lexus no Japão, onde transporte público é eficiente

Associated Press,

23 de agosto de 2013 | 13h51

TÓQUIO - Toyota está tentando melhorar a imagem do seu modelo de luxo Lexus e reverter o desinteresse dos jovens consumidores japoneses por carros. A tendência entre os jovens a evitar posse de automóveis tem crescido de forma generalizada no Japão, e já surgiu uma gíria que significa 'deixar o carro de lado': 'kuruma banare'.

O grande problema enfrentado pela Toyota e demais montadoras é que muitos jovens japoneses não têm dinheiro para comprar um carro de luxo.E quem tem dinheiro, também não se interessa.

O transporte público é tão sofisticado na maioria das cidades japonesas, que as pessoas podem viver muito bem dar sem um carro próprio, que implica em taxas relativamente altas de impostos, fiscalização e estacionamento.

Para atrair os jovens consumidores, a nova estratégia da Toyota é abrir cafés com espaço para atrair os jovens com outras coisas interessantes e aproveitar para mostrar o carro.

O primeiro café será aberto neste fim de semana no elegante bairro de Aoyama, em Tóquio. O espaço permite mostrar apenas um carro de cada vez. É uma casa chique onde empresa pretende possibilidades para o consumidor 'vivenciar' o produto.

Na casa, o consumidor vai tomar um café e deparar-se com um ambiente culto com curiosidades legais: um par de velhos óculos Ray Ban aqui, um livro de Jack Kerouac ali e uma caixa de vidro cheia de carros em miniatura, por exemplo.

Espaços semelhantes serão abertos em outras cidades do país e também em cidades do exterior, como Nova York e Dubai, enquanto a empresa tenta sublinhar as reformulações recentes dos seus modelos top de linha.

Emocional. "Queremos mostrar às pessoas a personalidade da marca Lexus, apelando para o lado emocional", afirma Mark Templin, vice-presidente executivo de Lexus Internacional.

 

O Lexus fez sucesso desde que chegou à América do Norte há 24 anos, oferecendo carros confiáveis da marca Toyota e com acabamento as vezes artesanal.

Atualmente os consumidores mais jovens identificam o Lexus como um carro conservador e sisudo que lembra os seus pais.

Templin diz que o novo espaço, chamado Intersect, faz parte da estratégia de rejuvenescer a imagem do carro e atrair o público jovem.

A sala de estar, uma criação do designer de interiores Masamichi Katayama, vai receber eventos com música, comida, exposição de design e outras atrações que associem a marca a um 'estilo de vida legal'.

O Lexus estreou no Japão em 2005, bem mais tarde do que em os EUA. Até a chegada do Lexus, o mercado de luxo japonês foi dominado pos importados como os das marcas Mercedes e BMW.

 

Vendas. No ano passado, as vendas do Lexus totalizaram 43,7 mil unidades no Japão, batendo a BMW com 40,9 mil e a Mercedes-Benz, com 40,3 mil.

 

Em contraste, o Lexus tem perdido a corrida para as duas rivais nos Estados Unidos nos últimos dois anos.

Koji Endo, analista de automóveis da empresa de pesquisa japonesa Advanced, disse a lealdade às marcas de luxo é grande e existe grande identificação com a BMW. "Os jovens americanos ricos não querem um carro japonês", comenta ele.

 

Funcionários da Toyota dizem que o carro está mudando gradualmente. Eles acreditam que a liderança do mercado que a Toyota tem no Japão é uma vantagem competitiva internacional.

Tudo o que sabemos sobre:
Toyota

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.