Toyota fará recall de 2 mi de veículos na Europa, diz jornal

No mundo, defeito no acelerador já afeta 4,3 mi de unidades ou 60% das vendas anuais da montadora

25 Janeiro 2010 | 08h22

A Toyota Motor fará o recall de cerca de 2 milhões de veículos na Europa para consertar o pedal do acelerador, informou o jornal japonês Yomiuri Shimbun em sua edição da noite de segunda-feira. 

 

Combinado com os 2,3 milhões de veículos que foram alvo de recall pela montadora japonesa nos EUA, o recall da companhia sobe para 4,3 milhões, o maior já feito pelo grupo e equivalente a cerca de 60% de suas vendas anuais.

 

"A Toyota tem um amplo problema de aceleração não intencional em carros de anos, fabricação e modelos variados", disse Sean Kane, presidente da Safety Research and Strategies, uma empresa de pesquisas de segurança de Massachusetts (EUA).

 

Montadora admite que má instalação de tapetes não é a única causadora do defeito

 

Na sexta-feira, 22, a japonesa Toyota Motor anunciou um recall de 2,3 milhões de veículos nos EUA, o segundo em menos de três meses, para consertar problemas no pedal do acelerador de carros das marcas Toyota e Lexus. O novo chamado acontece depois de a Toyota anunciar seu maior recall da história, que afetou 4,2 milhões de veículos, no fim do ano passado.

 

Embora a ação anunciada na sexta-feira seja separada da anterior, boa parte dos veículos - 1,7 milhão - já havia sido incluída no primeiro recall. A companhia afirmou anteriormente que tapetes instalados inadequadamente provocavam a aceleração repentina dos veículos. Desta vez, no entanto, a Toyota admitiu que os tapetes não são o único fator causador do problema. 

 

"Nos últimos meses, a Toyota investigou relatos isolados de paralisação dos mecanismos do pedal do acelerador em certos veículos sem a presença de tapetes", afirmou o vice-presidente da montadora, Irv Miller. As informações são da Dow Jones.

 

(Danielle Chaves e Marcílio Souza, da Agência Estado)

Mais conteúdo sobre:
Toyota recall Europa

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.