Kazuhiro Nogi/AFP-3/3/2010
Kazuhiro Nogi/AFP-3/3/2010

Toyota faz novo recall de 1,7 milhão de carros

Medida atinge principalmente o Japão, e é mais um golpe na imagem da montadora

, O Estado de S.Paulo

27 de janeiro de 2011 | 00h00

TÓQUIO

A montadora japonesa Toyota anunciou ontem um novo recall de 1,7 milhão de carros, em todo o mundo, por riscos de vazamento de combustível. O anúncio é mais um golpe para a companhia, que tenta superar crises recentes para manter sua posição atual de liderança mundial em venda de automóveis.

A medida envolve 1,28 milhão de veículos no Japão e 421 mil no exterior, segundo a empresa e o ministério nipônico dos Transportes. Além do Japão, os mercados mais afetados são a América do Norte (principalmente os Estados Unidos), com 280 mil automóveis, a Alemanha e, em menor medida, Rússia e Nova Zelândia. O Brasil não está incluído.

Nos Estados Unidos, 245 mil unidades do modelo de luxo Lexus, fabricadas entre 2006 e o início de 2009, serão revisadas. No Japão, a medida atinge quase 20 modelos fabricados entre 2000 e 2009.

De acordo com a companhia, diferentes problemas observados afetam total ou parcialmente os veículos e podem provocar um vazamento de combustível. As autoridades registraram dezenas de anomalias, mas nenhuma delas provocou um incidente preciso, segundo a empresa.

Desconfiança. Os analistas consideram que as falhas anunciadas ontem vão dificultar ainda mais a tarefa da Toyota de recuperar a confiança dos consumidores, depois de vários recalls no último ano e meio que envolveram milhões de veículos. A empresa enfrentou ainda vários processos judiciais e pagou uma multa recorde nos Estados Unidos. As ações da Toyota tiveram queda de 1,87% ontem na Bolsa de Tóquio, que viu seu índice Nikkei fechar em queda de 0,6%.

"A quantidade de recalls é importante e pode provocar novos danos à imagem da Toyota e reforçar as dúvidas sobre sua tecnologia", disse o analista Tatsuya Mizuno. "Isso acontece em um momento ruim, quando a empresa estava apenas se recuperando da crise."

Entre setembro de 2009 e fevereiro de 2010, a montadora convocou recalls de nove milhões de veículos, em sua grande maioria nos Estados Unidos.

A Toyota alega que as revisões foram decididas por precaução, como parte da estratégia de prestação de contas aos clientes, e considera que a honestidade para abordar possíveis avarias joga a seu favor. "Nosso objetivo é virar o número um da clientela, em termos de serviços e de satisfação do usuário", disse Paul Nolasco, um dos porta-vozes da empresa.

Apesar dos problemas sofridos em 2009 e 2010, o grupo Toyota (que inclui também as marcas Hino e Daihatsu) manteve no ano passado, pelo terceiro ano consecutivo, a primeira posição no mercado.

A Toyota vendeu 8,42 milhões de veículos em 2010, superando por menos de 30 mil carros a americana General Motors (GM), que vendeu 8,39 milhões no período. Como a GM vem em um processo acelerado de recuperação, porém, boa parte dos analistas do setor já acredita que o grupo americano deve recuperar a liderança este ano. / AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.