Toyota fica para trás na corrida dos carros elétricos

Empresa só deve lançar veículo elétrico puro em 2012

Hiroko Tabuchi, THE NEW YORK TIMES, TÓQUIO, O Estadao de S.Paulo

22 de agosto de 2009 | 00h00

Apesar de ter a imagem de montadora mais ecológica do mundo, a Toyota, empresa que criou o Prius - objeto de desejo daqueles preocupados com o meio ambiente - , perdeu posições na corrida em busca do carro abastecido unicamente por energia elétrica.A Mitsubishi Motors começou o leasing do seu veículo elétrico, o iMiEV, em junho. A Nissan Motors prepara o lançamento do seu carro elétrico, o Leaf, para o ano que vem. Mas a Toyota não planeja lançar um carro totalmente elétrico antes de 2012. Em vez disso, ainda este ano, a empresa pretende apresentar um híbrido abastecido com gasolina e energia elétrica, obtida a partir das tomadas comuns. Ainda assim, inicialmente estarão disponíveis apenas algumas unidades."Por que a Toyota está esperando para investir nos carros elétricos?" pergunta Tadashi Tateuchi, ex-projetista de carros de corrida convertido em "evangelista" dos carros elétricos.A tecnologia elétrica pode ajudar a determinar os vencedores e os perdedores da indústria automobilística do futuro, mas a Toyota tem demonstrado grande ceticismo em relação aos carros elétricos. "Ainda não chegou a época certa", disse o vice-presidente executivo da Toyota, Masatami Takimoto, durante visita pelas fábricas este ano.Destacando que os carros elétricos "enfrentam muitos desafios", ele disse que, para dar início à comercialização de veículos puramente elétricos, "será preciso uma bateria de capacidade muito superior àquela proporcionada pela tecnologia atual". A Toyota, que começou a desenvolver veículos híbridos no início da década de 1990, só conseguiu lucrar com eles depois de 2001. Segundo analistas, a montadora gostaria de lucrar tanto quanto possível com a tecnologia atual antes de passar para uma nova, especialmente porque está enfrentando um segundo ano difícil, depois de perder cerca de US$ 4 bilhões no ano passado.Os executivos da Toyota enumeram motivos para manter o ceticismo diante dos carros elétricos: eles não conseguem viajar longe o bastante antes de precisarem de recarga; suas baterias são caras e instáveis; a estrutura elétrica para recarregá-los ainda não foi instalada.Na avaliação da Toyota, ainda não se sabe quando haverá um mercado de massa para carros caros de alcance limitado. E mesmo quando os carros elétricos forem comercializados amplamente, eles servirão apenas para viagens curtas, e consistirão num nicho de mercado.Em vez disso, a Toyota está investindo na tecnologia híbrida, e pretende lançar ainda este ano um veículo abastecido a eletricidade e gasolina capaz de percorrer uma curta distância com a alimentação das baterias até que o sistema híbrido entre em funcionamento.Mas os entusiastas dos carros elétricos dizem que a Toyota está adotando uma cautela desnecessária, ignorando avanços tecnológicos que permitiriam um desenvolvimento mais acelerado do carro elétrico. Os avanços nas baterias, bem como nos poderosos ímãs necessários para a propulsão dos motores, aumentaram muito a viabilidade dos carros elétricos. Uma tecnologia que reduz drasticamente o tempo das recargas encontra-se também em desenvolvimento.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.