Toyota ganha com plano de resgate dos EUA

Montadora japonesa respondeu por 19% das vendas do programa do governo americano de oferta de dinheiro para troca de carros velhos

Bill Vlasic, THE NEW YORK TIMES, DETROIT, O Estadao de S.Paulo

28 de agosto de 2009 | 00h00

O programa dinheiro-por-carros velhos se revelou muito proveitoso para as montadoras asiáticas e os pequenos carros nos quais elas se especializam. Apesar de os representantes do governo americano terem promovido o programa - encerrado esta semana - como forma de estímulo generalizado à atividade econômica, a maior beneficiada por ele foi a Toyota, que respondeu por 19% de todas as vendas, emplacando dois de seus carros entre os três modelos mais vendidos.O Departamento de Transportes disse na quarta-feira que os participantes do programa, que oferecia descontos em dinheiro para quem trocasse seu carro velho por um modelo novo, compraram 690 mil novos carros. Cerca de US$ 2,9 bilhões dos US$ 3 bilhões destinados ao programa foram distribuídos por meio de cupons do governo, que valiam descontos de US$ 3.500 a US$ 4.500.As três montadoras de Detroit - General Motors, Ford e Chrysler - responderam por 38,6% dos veículos vendidos. Essa proporção é substancialmente inferior à fatia combinada de 45% do mercado em poder das empresas de Detroit durante os primeiros sete meses do ano.As maiores montadoras japonesas - Toyota, Honda e Nissan - venderam 41% dos veículos novos envolvidos no programa. Sua fatia de mercado combinada até julho foi de 34%. O Toyota Corolla foi o carro mais vendido, seguido pelo Honda Civic, Toyota Camry, Ford Focus e Hyundai Elantra.Nenhum modelo da GM e nem da Chrysler entrou na lista dos 10 mais vendidos, apesar de a GM ter sido a segunda colocada no número total de carros antigos vendidos.O sucesso da Toyota e das outras montadoras asiáticas foi impulsionado pelo tipo de carro dos seus show rooms. Aqueles que decidiram trocar de carro estavam interessados em veículos de tamanho reduzido, que apresentam maior eficiência no consumo de combustível. Cerca de 84% dos carros velhos vendidos foram caminhonetes, e 59% dos veículos comprados foram carros.Toyota e Honda são, há muito, as líderes em vendas de carros pequenos e médios nos Estados Unidos. Assim, não foi surpreendente o fato de Corollas e Civics desaparecerem das concessionárias durante a vigência do programa."Os consumidores buscaram carros conhecidos pela sua confiabilidade e baixo consumo de combustível", disse Rebecca Lindland, analista da firma de pesquisas IHS Global Insight. Entretanto, o interesse em carros menores pode ser um sinal de esperança também para as montadoras americanas.A Ford está lançando novos modelos do Focus e do Fiesta subcompacto. GM e Chrysler indicaram que, após a concordata, seus show rooms devem exibir um maior número de carros pequenos - e menos caminhonetes. De maneira geral, o programa terá como resultado a redução no consumo de combustível. O rendimento médio dos veículos vendidos era pouco superior a 6,5 km por litro, enquanto os veículos adquiridos por meio do programa apresentavam rendimento médio superior a 10,5 km por litro.Os principais veículos trocados, como o Ford Explorer e o Jeep Grand Cherokee, estavam entre os mais populares na era dos esportivos utilitários, nos anos 1990. Uma análise preliminar do programa feita pelo governo Obama disse que o crescimento econômico para o terceiro trimestre foi 0,4% maior por causa das vendas de carros em julho e agosto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.