Toyota investe US$ 42 mi e cria 90 empregos na fábrica do ABC

A Toyota do Brasil anunciou nesta terça-feira investimentos de US$ 42 milhões, com recursos próprios, para expandir a linha de forjaria da sua unidade de produção de peças, em São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo. O objetivo da expansão é atender o mercado norte-americano. De acordo com o presidente da empresa, Shozo Hasebe, se a operação tiver bons resultados, a fábrica poderá passar a exportar para outros países.Segundo o diretor de recursos humanos e planejamento corporativo da Toyota, Percival Maiante, o Brasil foi escolhido, entre outros países, inclusive os Estados Unidos, por conta da disponibilidade de matéria-prima (aço, principalmente), custos competitivos, além de "competência técnica". Conforme o executivo, a empresa compra produtos siderúrgicos atualmente da Usiminas e da sua controlada, a Cosipa, mas está em processo de seleção de novos fornecedores.Questionado sobre a escolha de São Bernardo, no momento em que outra grande montadora, a Volkswagen, pensa em fechar sua unidade no município, Maiante respondeu que a decisão foi baseada na busca da melhor operação dentro de toda a organização da empresa. "A unidade conta com muitos pontos favoráveis e permitirá que alcancemos a melhor produtividade, custo e qualidade", afirmou ele.O presidente da montadora ressaltou que também foi levado em consideração o fato do Brasil ser considerado, dentro da organização, um candidato a se tornar, no futuro, uma base de suprimentos para o grupo em todo o mundo. O executivo preferiu não fazer comentários a respeito de qual seria a taxa cambial ideal para exportações a partir do Brasil, mas revelou que a expansão anunciada tomou como base uma taxa de R$ 2,14.Basicamente, serão introduzidas duas novas linhas de produção na fábrica de São Bernardo: uma de virabrequim e outra de biela. As duas peças atenderão ás fábricas dos estados de Kentucky e West Virginia, que produzem atualmente o Camry e o Corolla americanos, respectivamente. A previsão é de que 470 mil virabrequins sejam produzidos por ano, a partir de novembro de 2008. A linha de bielas tem início da produção programado para maio de 2009, com capacidade para 700 mil unidades.A unidade de São Bernardo do Campo emprega atualmente 970 pessoas e mantém linhas de usinagem, pintura e soldagem, além da forjaria, que será expandida. As peças produzidas atualmente atendem basicamente a fábrica da empresa em Indaiatuba, no interior de São Paulo, que produz o Corolla e a perua Fielder, além da fábrica na Argentina, que fabrica a Hilux. Com a expansão, 90 novos empregos diretos serão criados.Atualmente a fábrica do ABC despacha diariamente 15 carretas de peças para suas unidades de produção em Indaiatuba e na Argentina. Com a expansão, três contêineres serão adicionados aos despachos diários. A previsão da empresa é de que as vendas de veículos somem 70 mil unidades para o mercado brasileiro em 2006, ante 63 mil veículos vendidos no ano passado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.