Toyota oferece pacote de demissão voluntária

Empresa também anunciou que vai cortar bônus e diminuir salário de executivos nos EUA

DOW JONES NEWSWIRES E CLEIDE SILVA, O Estadao de S.Paulo

14 de fevereiro de 2009 | 00h00

A montadora japonesa Toyota tomou novas medidas para reduzir a produção e está oferecendo a todos os seus 25 mil empregados na América do Norte um pacote de demissão voluntária. O pacote é constituído de 10 semanas de pagamentos, mais duas semanas de pagamento para cada ano trabalhado na companhia, além de um adicional de US$ 20 mil. A companhia, de acordo com o porta-voz Mike Goss, não prevê um número significativo de adesões e não tem metas para esse "programa de saída voluntária".Além desse pacote, o grupo disse que está eliminando bônus para aproximadamente 3 mil executivos e empregados administrativos e diminuindo o salário dos executivos. A montadora acrescentou que não haverá aumentos de salário no futuro próximo e os bônus de primavera pagos aos horistas serão reduzidos e depois, eliminados."Estamos tomando todas as medidas que podemos para proteger o emprego", disse Goss. A jornada semanal de trabalho será reduzida em 10% em diversas unidades em abril. As fábricas americanas de San Antonio e Princeton, no Estado de Indiana, deverão adotar o programa primeiro. As duas unidades já estão operando com metade da capacidade. Em outras fábricas, a quantidade de dias de paralisação da produção será aumentada em abril. A intenção da montadora é cortar à metade seus níveis de estoques."Com a duração da semana de trabalho reduzida e outras medidas de cortes de custos, nós planejamos continuar utilizando completamente a equipe de funcionários que temos", disse Goss. O programa de demissão voluntária "foi elaborado apenas como uma opção para os trabalhadores que queiram fazer outra coisa".BRASILEm visita ontem ao secretário de Desenvolvimento de São Paulo, Geraldo Alckmin, o presidente da Toyota Mercosul, Shozo Hasebe, informou que as obras da nova fábrica da empresa que será erguida em Sorocaba (SP) começam em maio. A inauguração da unidade está prevista para novembro de 2011. A nova fábrica terá capacidade para produzir 150 mil veículos compactos ao ano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.