Toyota suspenderá temporariamente produção na França e no Reino Unido

Após série de recalls, demanda mais fraca por veículos faz montadora paralisar atividades por 12 dias

Clarissa Mangueira, da Agência Estado,

26 de março de 2010 | 12h09

A montadora japonesa Toyota Motor Corp. disse que suspenderá temporariamente a produção de suas fábricas na França e no Reino Unido por pelo menos 12 dias, a partir do final de março, por causa da demanda mais fraca por seus veículos na região depois de uma série de recalls mundiais.

 

A interrupção da produção coincide com os planejados ajustes de produção em duas fábricas da Toyota nos EUA por até duas semanas em março e abril, a fim de evitar que os níveis de estoque aumentem depois dos recalls.

A montadora suspenderá, entre os dias 6 a 9 de abril, a produção da sua fábrica na França - onde produz o compacto Yaris -, e também planeja uma nova interrupção da produção dessa fábrica no final do mês.

 

A maior montadora do mundo em volume vai interromper as operações no Reino por um total de oito dias, a partir da próxima segunda-feira (29) até quinta-feira (1º), e entre os dias 6 e 9 de abril.

A interrupção no Reino Unido ocorre em um momento no qual a empresa renova sua linha de produção para começar a fabricar uma versão híbrida do hatchback Auris ainda este ano, e também acontece antes de uma planejada paralisação em uma de suas duas linhas de produção do Reino Unido prevista para agosto.

 

O executivo-chefe da divisão europeia da Toyota, Tadashi Arashima, afirmou no início do mês que a montadora prevê uma queda de suas vendas na Europa este ano, diante da recessão, do fim do programa do governo federal norte-americano "Dinheiro por Sucata" e das consequências sobre a demanda do recall de seus veículos.

 

Em 2009, a montadora vendeu 730.831 veículos na Europa, queda de 4,7% em comparação com o ano anterior. A participação de mercado da Toyota foi de 5%.

A Toyota disse, na quinta-feira, no Japão, que pretende finalizar os detalhes da primeira grande reorganização das suas instalações de produção até ao verão, para evitar uma queda abrupta na rentabilidade, na esteira dos recalls. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.