Toyota tem primeira perda trimestral

A montadora japonesa Toyota, que no ano passado tomou da norte-americana General Motors o posto de maior montadora do mundo em vendas globais, anunciou seu primeiro prejuízo trimestral, de US$ 1,813 bilhão, no trimestre encerrado em dezembro. O resultado ficou bem distante do lucro de US$ 5,04 bilhões que a empresa havia obtido um ano antes.As vendas encolheram 28%, para US$ 52,8 bilhões, ante US$ 73,8 bilhões apurados no último trimestre de 2007. Os resultados são o primeiro prejuízo trimestral da Toyota desde que a montadora começou a divulgar os balanços desses períodos, em abril de 2002.Para o ano fiscal que termina em março, a Toyota prevê um prejuízo líquido de US$ 3,8 bilhões e a ampliação do prejuízo operacional para US$ 4,9 bilhões. Em dezembro, a Toyota projetava encerrar o ano fiscal com lucro líquido do US$ 550 milhões e prejuízo operacional de US$ 1,6 bilhão. Será o primeiro prejuízo anual da empresa A Toyota iniciou o atual ano fiscal com uma previsão otimista de produzir 8,87 milhões de veículos. Ontem, porém, a empresa informou que prevê a produção em 7,08 milhões de unidades, depois de ter colocado cerca de 30% de suas linhas de produção trabalhando em apenas um turno. "O ambiente de vendas piorou dramaticamente no mês passado nos principais mercados do Japão, América do Norte e Europa", disse o vice-presidente executivo da montadora, Mitsuo Kinoshita.A divulgação dos resultados do terceiro trimestre e as projeções para o ano foram mal recebidas pelo mercado. "Isso é absolutamente terrível", disse Yoshinori Nagano, analista da Daiwa Asset Management. "Mas as expectativas sobre as medidas econômicas dos Estados Unidos e sua efetividade têm apoiado a ação da companhia e isso deve continuar mesmo depois do resultado. Ainda assim, se algo der errado nesse sentido, a ação da empresa pode ser abatida de novo."Antes da divulgação dos resultados da Toyota, a agência de classificação de risco Moody?s rebaixou o rating da dívida sênior não garantida de longo prazo da montadora e de suas subsidiárias de Aaa para Aa1.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.