Trabalhadores da Ambev ameaçam greve

Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Trabalhadores da Ambev ameaçam greve

Pauta de reivindicações inclui piso salarial nacional de R$ 1.500 e a criação de uma política nacional transparente de Participação nos Lucros e Resultados

Gabriela Vieira, Agência Estado

11 de setembro de 2014 | 15h20


SÃO PAULO - Trabalhadores da Ambev retomaram a mobilização para pressionar a companhia a atender a pauta de reivindicações da categoria. 

Após reunião entre representantes dos sindicatos estaduais e a Confederação Nacional dos Trabalhadores nas Indústrias da Alimentação e Afins (CNTA Afins) em Brasília, nesta quinta-feira, 11, os funcionários consideraram a possibilidade de paralisação em algumas unidades.

"A reunião de hoje serviu para alinharmos nossas estratégias e retomar a mobilização para que a companhia atenda as demandas dos trabalhadores. Vamos encaminhar agora a pauta para a Ambev e esperamos uma definição até outubro, caso contrário não está descartada possibilidade de novas greves", afirmou o presidente da CNTA Afins, Artur Bueno Camargo.

Segundo ele, o objetivo é retomar a pressão realizada pelos trabalhadores no início do ano, a exemplo da paralisação da unidade da fabricante de bebidas em Manaus no mês de maio. 

A pauta de reivindicações dos trabalhadores inclui piso salarial nacional de R$ 1.500 e a criação de uma política nacional transparente de Participação nos Lucros e Resultados (PLR).

Procurada, a Ambev informou que faz acordos anuais diretamente com os sindicatos de cada Estado e que a operação da companhia em Manaus "nunca foi paralisada". A AmBev não foi notificada pela confederação sobre o encontro de hoje.

Conforme levantamento da CNTA Afins, dos aproximadamente 144 mil trabalhadores do setor de bebidas, cerca de 32 mil são ligados à Ambev e outros 66 mil ligados à Coca-Cola Holding. 

A entidade também está discutindo estratégias com os funcionários da Coca-Cola. Segundo Artur, a confederação também deve debater questões sobre condições de saúde e segurança dos trabalhadores no setor de bebidas.

Tudo o que sabemos sobre:
Bebidas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.