Trabalhadores da Chevron entram em greve na Nigéria

A companhia norte-americana de petróleo Chevron afirmou que seus trabalhadores na Nigéria entraram em greve depois do encerramento de semanas de negociações sobre questões relacionadas a salário e segurança. Tal movimento vai piorar a já prejudicada produção de petróleo nigeriana e acrescentar mais um motivo para o aumento dos preços globais do petróleo.A Chevron informou, em comunicado, que "ainda é muito cedo para comentar sobre qualquer impacto potencial" da interrupção dos trabalhos sobre suas operações.A greve também amplia as próprias preocupações da Chevron na Nigéria, que teve uma de suas unidades atingidas por um ataque de militantes rebeldes no fim da semana passada. A companhia ainda não confirmou boatos sobre uma declaração de força maior - que eliminaria 120 mil barris diários de produção - como resultado do ataque.Os preços do petróleo têm subido nos últimos dias como conseqüência de uma série de ataques militantes à infra-estrutura do setor energético da Nigéria, operada pela petrolífera anglo-holandesa Royal Dutch Shell, pela italiana Eni e pela Chevron. Os ataques impediram a extração de 1 milhão de barris de petróleo por dia, levando a produção do país a seu nível mais baixo em duas décadas. Cerca de um terço da capacidade instalada de produção na Nigéria está bloqueada no momento.A região da Nigéria, onde existem vários grupos militares rebeldes e que sofre com a crescente criminalidade e a ampliação da pobreza, ganhou atenção especial do noticiário de ontem, depois que o grupo Movimento pela Emancipação do Delta do Níger anunciou um cessar-fogo que deverá começar amanhã. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.