Trabalhadores da Embraer aprovam estado de greve

Em uma assembléia realizada no início da manhã de hoje pelo Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos, os trabalhadores da Embraer aprovaram estado de greve. Cerca de quatro mil metalúrgicos participaram da reunião, às 6 horas, antes da entrada do primeiro turno. Representantes do sindicato protocolaram na empresa o aviso de que produção poderá ser paralisada, caso a empresa não concorde com as reivindicações da categoria. A Embraer ofereceu 16,5%, mas os trabalhadores querem reajuste de 20%, relativo às perdas salariais e ao aumento real, abono de cerca de R$ 2 mil, redução da jornada de trabalho sem alteração de salário e renovação das cláusulas sociais. A categoria reclama que a Embraer é a única grande empresa da região do Vale do Paraíba que até agora não fez o acordo sobre a campanha salarial. Nesta semana, uma nova mesa de negociação aconteceria na quarta-feira, mas a empresa suspendeu a reunião. Um novo encontro entre sindicalistas e diretores da empresa deve acontecer amanhã, às 10 horas.Segundo a direção do Sindicato, os trabalhadores estão revoltados com a demora na definição do reajuste salarial. o vice-presidente do sindicato, Adilson dos Santos, apontou que a Embraer tem a maior jornada de trabalho, se comparada a outras grandes empresas da região. "Queremos também a redução desta jornada". Na região sindical de São José dos Campos a entidade conseguiu acordo com 90% das empresas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.