Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Trabalhadores da GM alteram opção sobre reajuste

Os trabalhadores da General Motors de São José dos Campos mudaram de opinião e na tarde desta sexta-feira optaram pela segunda proposta feita pela empresa. Em uma assembléia geral, os metalúrgicos escolheram obter 5,47% de reajuste salarial em janeiro próximo e um abono de R$1.200 pago em 02 de outubro. Um dia antes, na quinta-feira, a maioria havia escolhido a primeira oferta, que era de 4,19% de aumento em outubro mais um abono de R$700 e outro reajuste, em janeiro, de 1,23%."Depois de aceitarem, voltaram para a fábrica e foram fazer os cálculos. Muitos então viram que a segunda proposta seria mais vantajosa e por isso marcamos outra reunião", justificou o presidente do sindicato, Adilson dos Santos. A segunda proposta feita pela GM foi aceita, segundo o sindicato, por 8 mil dos 9.500 trabalhadores. Para o sindicato, apesar de cansativas negociações com a General Motors, que duraram mais de um mês, o acordo foi "o melhor do Estado". "Consideramos uma vitória", completou Santos. Os trabalhadores também terão estabilidade no emprego até o final de março do próximo ano e outros benefícios como adicional noturno de 30%, aumento no valor do auxílio creche, manutenção das cláusulas sociais e ainda a contratação de 40 pessoas para a produção com deficiência auditiva.

Agencia Estado,

22 de setembro de 2006 | 18h30

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.