Trabalhadores da Volks/Audi mantêm greve no Paraná

Os 3,5 mil trabalhadores da unidade da Volkswagen/Audi, em São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba, rejeitaram mais uma vez a proposta patronal de acordo salarial e mantiveram, em assembleia na tarde de hoje, a greve iniciada no dia 3. Nas outras duas grandes montadoras instaladas no Paraná - Renault/Nissan e Volvo - os metalúrgicos aceitaram as propostas e retornaram ao trabalho ontem.

EVANDRO FADEL, Agencia Estado

17 de setembro de 2009 | 18h45

Pela manhã, em reunião no Tribunal Regional do Trabalho, representantes da empresa apresentaram a mesma proposta aceita nas outras montadoras - reajuste salarial de 7,57% a partir deste mês e abono de R$ 2 mil a ser pago segunda-feira. Além disso, foi concedido aumento no adicional noturno para 25% a partir de agosto de 2010. Os trabalhadores querem, no entanto, passar a recebê-lo imediatamente.

Os metalúrgicos insistem, ainda, na ampliação de cinco para 11 etapas de avaliação de desempenho e aumento do nível salarial. Eles argumentam que isso criaria isonomia com a planta de São Bernardo do Campo (SP), onde os salários tendem a ser maiores após alguns anos.

Tudo o que sabemos sobre:
grevemetalúrgicosVolkswagenParaná

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.