Trabalhadores de Cubatão entram em greve na 4º feira

A partir da próxima quarta-feira, cerca de 10 mil operários vinculados ao Sindicato dos Trabalhadores na Construção Civil, Montagem e Manutenção Industrial (Sintracomos) vão entrar em greve por tempo indeterminado no Pólo Industrial de Cubatão, na Baixada Santista. A decisão foi tomada por mais de mil sindicalizados em assembleia realizada ontem à noite na subsede do sindicato em Cubatão. Cerca de 4 mil desses trabalhadores prestam serviço para as 18 empreiteiras que atuam na Usiminas (antiga Cosipa).

REJANE LIMA, Agencia Estado

23 de maio de 2009 | 11h34

De acordo com o Sintracomos, as empreiteiras (25 no total) ofereceram reajuste de 3,8%, na data-base de maio, porém a categoria reivindica 10% aumento, e o pagamento de um salário nominal referente à Participação nos Lucros ou Resultados (PLR) de um salário nominal.

A paralisação afetará as seguintes empreiteiras: Calorisol, Constremac, Construcap Planar, Crimontec, Delta, Embasil, Enesa, Graftec, Integral, Isotec, Itororó, Magnesita, Manserv, M & Asi, Momentun, Montcalm, NM, Ormec, Perfecta, Reframom, Sankyu, Usiminas Mecânica, Vesuvius, e Ypiranga Pinturas. Além da Usiminas, essas empresas prestam serviços para a Bunge, Carbocloro, Copebras, Dow Química e Fosfertil.

O presidente do Sintracomos, Geraldino Cruz Nascimento, lamenta que a paralisação realizada de 11 a 13 de maio pelos 5 mil contratados pelas 16 empreiteiras que prestam serviço a refinaria Presidente Bernardes, da Petrobras, não tenha estimulado as empresas a oferecer uma contraproposta melhor.

Tudo o que sabemos sobre:
greveconstrução

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.