seu bolso

E-Investidor: O passo a passo para montar uma reserva de emergência

Trabalhadores de Docas voltam ao trabalho na Bahia

Voltaram ao trabalho na manhã desta quarta-feira os 280 trabalhadores da Companhia de Docas do Estado da Bahia (Codeba), que haviam paralisado durante 24 horas os três portos da estatal portuária. O presidente do Sindicato dos Portuários da Bahia(Suport-BA) garante que o acesso para carga e descarga nos portos de Aratu e Salvador, na capital, e Ilhéus, a 370 quilômetros, foram impedidos de descarregar ou carregar. A fila de caminhões chegou a dificultar o trânsito, mas nas primeiras horas desta quarta a entrada no terminal foi normalizada. "Nós permitimos a descarga de trigo por ser gênero de primeira necessidade, e tradicionalmente sempre liberamos essa operação", explicou Ulisses Oliveira Junior, ressaltando que a paralisação, nacional é de advertência e pressiona pela reposição das perdas, de 16,4%, registradas no atual governo. "Os tecnocratas vem tratando os portuários com desdém. Esquecem que 96% da produção do País passa pelo porto", reclama. Na Bahia, o salário médio do portuário é de R$ 1 mil, e em começo de carreira fica em R$ 470. A assessoria de imprensa da Codeba disse que o Terminal de Conteiners (Tecon), administrado por uma empresa particular, operou normalmente, e além da operação do navio de trigo, outro navio pode atracar e um foi liberado para zarpar.

Agencia Estado,

02 de agosto de 2006 | 16h16

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.