Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Trabalhadores de Santo Antônio e Jirau aceitam reajuste salarial

Trabalhadores das hidrelétricas de Santo Antônio e Jirau, no Rio Madeira (RO), aceitaram ontem a proposta de reajuste salarial apresentada pelos consórcios responsáveis pela construção das duas usinas. O acordo deve evitar novas paralisações nas obras, como aconteceu no mês passado.

TÂNIA MONTEIRO / BRASÍLIA, O Estado de S.Paulo

20 de abril de 2012 | 03h03

O anúncio do acordo foi feito pela Secretaria Geral da Presidência da República. O reajuste aceito pelo Sindicato dos Trabalhadores da Construção Civil de Rondônia varia de 7% a 13% de aumento. O maior ganho será aplicado para os trabalhadores que ganham até R$ 1.550,00, o que representa 88% da mão de obra das usinas. Para quem recebe atualmente de R$ 1.551,00 a R$ 2.500,00, o reajuste será de 10%. Para as demais faixas, o aumento será de 7%.

Também foi acertado um reajuste para o valor da cesta básica das três faixas salariais. Para o primeiro grupo, o cesta passará a ser de R$ 270,00, e para as outras duas de R$ 240,00 e R$ 200,00, respectivamente. Houve antecipação do dissídio que seria só no final de maio e reajuste das horas extras. De segunda a sexta-feira a hora extra será de 70%. Aos sábados, 80% e domingos, 100%.

Pelo acordo foram mantidas as folgas de 5 dias a cada 90 dias de trabalho, e mais dois dias úteis de compensação. O auxílio-creche passará de R$ 100,00 para R$ 150,00 e o auxílio para filho deficiente pago à instituição que acolhe a criança aumenta de R$ 300,00 para R$ 400,00.

Segundo a Secretaria Geral da Presidência, o acordo estabelece ainda que os dias parados não serão descontados e ficarão pendentes até 31 de dezembro. Se o trabalhador for demitido ou pedir demissão antes, os dias serão descontados. Se isso não ocorrer, não haverá desconto.

A greve começou por Jirau, no dia 9 de março, e se alastrou para Santo Antônio. No início deste mês, depois de uma série de negociações no Tribunal Regional do Trabalho (TRT), um incêndio destruiu 36 dos 57 alojamentos em Jirau. Onze pessoas foram presas no episódio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.