Trabalhadores rurais protestam na Esplanada dos Ministérios

Cerca de 1.500 trabalhadores rurais chegaram nesta terça-feira à Esplanada dos Ministérios fazendo a manifestação do "12º Grito da Terra", uma iniciativa da Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura. O ato é uma forma de protesto à política adotada pelo governo com o setor, e suas principais reivindicações são a garantia de preços mínimos para os produtos da agricultura familiar, a renegociação de dívidas rurais e a liberação de R$ 11 bilhões para o Programa de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf).Segundo o diretor de Política Agrária e Meio Ambiente da Contag, Paulo de Tarso, a idéia é avançar no processo de negociação com o governo federal nas questões ambiental e das políticas agrária, agrícola e social, em especial na Previdência Social - cujos direitos estão previstos pelo projeto de lei 8.652, que tramita na Câmara dos Deputados. "As negociações estão boas, mas existem alguns gargalos que pretendemos que estejam resolvidos até quinta-feira", disse em entrevista ao Programa Notícias da Manhã, da Rádio Nacional.De acordo com a Agência Brasil, paralelamente ao "Grito da Terra" haverá um encontro que deve reunir cerca de 600 jovens para um debate sobre geração de emprego para a faixa etária, agroecologia e desenvolvimento territorial sustentável. "Os jovens vão participar das manifestações, mas simultaneamente vai acontecer esse debate sobre a importância da juventude para a manutenção do desenvolvimento rural com sustentabilidade, porque o campo está envelhecendo e a gente precisa discutir a permanência da juventude com qualidade de vida no campo."

Agencia Estado,

16 de maio de 2006 | 13h41

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.