Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

?Trabalharemos para crescimento maior?, afirma Meirelles

O presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, disse hoje que o Brasil vai crescer este ano e no próximo e que a equipe econômica está trabalhando para que o crescimento nos próximos anos seja ainda maior. De acordo com ele, a economia brasileira já retomou o nível de atividade.Meirelles lembrou ainda que o crescimento sustentado é resultado da capacidade produtiva da economia e que o governo está trabalhando para ampliar essa capacidade. Ele observou que isso depende do volume de investimentos internos e externos, o que está ligado também à poupança. "Infelizmente, não há maneira nem fórmula mágica de encurtar o caminho (para o crescimento). É preciso trabalho duro e perseverança", afirmou.Inflação alta não é crescimentoO presidente do BC observou que os países que crescem por longo período de tempo a taxas elevadas são países com inflação baixa. Ele citou como exemplo a Coréia, com crescimento médio de 7% ao ano e inflação de 5% ao ano, e Singapura, com inflação média de 1,5% e crescimento médio de 6,8% ao ano, no período de 1985 a 2001. No mesmo período, o Brasil teve "a vergonhosa taxa média de 606,3% de inflação, com crescimento de 2,7%". "Se inflação alta fosse forma de crescimento, estaríamos muito bem. Não queremos e não vamos repetir esse modelo", afirmou. Ao longo de sua apresentação, o presidente do BC disse várias vezes que o caminho para o crescimento sustentado está baseado na responsabilidade fiscal, na preservação da estabilidade macroeconômica, no sistema de metas e no ajuste das contas externas.Questionado sobre o que o Banco Central fará quando houver aumento das taxas de juros nos EUA, Meirelles afirmou que o Brasil está caminhando para um momento em que, quando a situação externa não for favorável, o País estará "apenas bem". Juro alto nos Estados Unidos abre a apossibilidade de uma diminuição de recursos para o Brasil. Ele destacou que o saldo comercial está "fortíssimo", em um momento em que a economia está retomando seu nível de atividade.

Agencia Estado,

05 de abril de 2004 | 14h19

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.