KEINY ANDRADE/ESTADÃO
KEINY ANDRADE/ESTADÃO

carteira

As ações mais recomendadas para dezembro, segundo 10 corretoras

Trabalho infantil aumenta 4,5% em 2014

No ano passado, 554 mil crianças e adolescentes entre 5 e 13 anos estavam trabalhando, mostra pesquisa do IBGE

Daniela Amorim, Roberta Pennafort e Vinicius Neder, O Estado de S. Paulo

13 de novembro de 2015 | 10h00

RIO - O País registrou um aumento no trabalho infantil em 2014. O número de pessoas de 5 a 17 anos ocupadas cresceu 4,5%, o equivalente a 143,5 mil crianças e adolescentes a mais nessa condição. Os dados são da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad 2014), divulgada nesta sexta-feira, 13, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). No ano passado, 554 mil crianças de 5 a 13 anos estavam trabalhando.

Houve aumento no nível de ocupação em todas as faixas etárias e em todas as regiões do País. Na faixa etária de 5 a 9 anos de idade, o total de crianças ocupadas teve um salto de 15,5%, nove mil indivíduos a mais. Em 2014, o País já tinha 70 mil crianças dessa idade trabalhando. Entre 10 e 13 anos de idade, o total de crianças trabalhando aumentou 8,5%, para 484 mil pessoas, 38 mil crianças a mais nessa condição.

"Os pequenininhos são muito ocupados em atividades com rendimentos menores", disse Maria Lucia Vieira, gerente da Pnad no IBGE.

A atividade agrícola concentrou 62,1% da população ocupada com idade entre 5 e 13 anos, mesma proporção registrada em 2013.

O IBGE não soube dizer por que houve aumento no número de crianças trabalhando. A gerente do instituto afirma que quem puxou a alta no trabalho infantil foi a faixa etária de 16 a 17 anos, que recebem rendimento maior e, em geral, vivem em domicílios com rendimento mais alto.

Na faixa etária de 16 e 17 anos, o total de ocupados aumentou 2,7%, o equivalente a 51 mil pessoas a mais, totalizando 1,926 milhão de pessoas. Dos 14 aos 15 anos, o número de ocupados cresceu 5,6%, para 852 mil trabalhadores, 45 mil indivíduos a mais.

O Sul registrou o mais alto nível da ocupação das pessoas de 5 a 17 anos (10,2%), seguido por Norte (9,2%), Nordeste (8,7%), Centro-Oeste (8,2%) e Sudeste (6,6%).

Tudo o que sabemos sobre:
economiaPnad 2014trabalho infantil

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.