Tradutores humanos contra as máquinas

Nos Estados Unidos, empresa iniciante quer ganhar dinheiro traduzindo a internet

SOMINI SENGUPTA, THE NEW YORK TIMES, O Estado de S.Paulo

24 de junho de 2012 | 03h09

A linguagem não é uma coisa natural para as máquinas. Ao contrário dos humanos, não é fácil para um computador fazer a distinção, por exemplo, entre um banco de praça e um banco onde se deposita dinheiro. Sátiras e piadas? Os algoritmos têm dificuldades com isso. Ironia? Jogo de palavras? Contexto cultural? Esqueça.

Essa capacidade humana de decodificar as coisas é a nova aposta de um cientista que se tornou empresário, Luis von Ahn. Sua empresa iniciante, a Duolingo, que começou a funcionar oficialmente na terça-feira, se propõe a colocar exércitos de aprendizes de línguas para trabalhar traduzindo textos na internet.

Para os alunos, o que a Duolingo oferece são lições básicas, seguidas de frases para traduzir, uma de cada vez, do mais simples ao mais difícil. Para os provedores de conteúdo online que querem traduções, a Duolingo oferece, pelo menos por enquanto, trabalho gratuito. Como ainda está em seus primeiros dias, ainda não há avaliação de quão eficiente o serviço pode ser.

Nos últimos cinco meses, o site esteve disponível apenas por convite, e ainda é limitado às línguas inglesa, espanhola, francesa e alemã. Pessoas e empresas podem enviar seu conteúdo para o Duolingo para ser traduzido, um serviço que a empresa deve, em breve, começar a cobrar. Para conseguir material para suas lições, o Duolingo pode também aproveitar textos que não sejam protegidos por direitos autorais. Os usuários votam nas melhores traduções, dando alguma medida de controle de qualidade.

"Você está aprendendo uma língua e, ao mesmo tempo, ajudando a traduzir a web", diz Von Ahn. "Você aprende fazendo."

O tradutor do Google, que depende inteiramente de máquinas para fazer o trabalho, ao mesmo tempo em que normalmente consegue captar a essência do texto, às vezes pode produzir passagens completamente desconcertantes.

Para o Duolingo funcionar bem, porém, precisa de uma grande quantidade de alunos. Quanto mais hábeis eles se tornam, maiores as chances de traduções mais precisas. A empresa já levantou US$ 3,3 milhões em investimento de capital de risco. O ator Ashton Kutcher está entre os apoiadores, juntamente com a empresa Union Square Ventures e com o escritor de livros de negócios Tim Ferris.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.