Tráfego aéreo internacional diminui 1,1% em agosto

O tráfego aéreo internacional diminuiu 1,1% em agosto, na comparação com o mesmo mês do ano passado, e a Associação Internacional de Transporte Aéreo (Iata) afirmou que há poucos pontos positivos para o setor, apesar de a demanda ter aumentado em relação a julho. "As tarifas se estabilizaram, mas a níveis abaixo da lucratividade", disse o diretor-geral e executivo-chefe da entidade, Giovanni Bisignani, em um comunicado. "Enquanto isso, as pressões de custos estão aumentando por causa da reduzida utilização das aeronaves e do aumento dos preços do petróleo. O setor ainda não está fora de perigo", acrescentou.

DANIELLE CHAVES, Agencia Estado

29 de setembro de 2009 | 16h14

Apesar de os níveis de capacidade terem sido cortados para atender à menor demanda, os preços dos bilhetes permanecem deprimidos, informou a Iata, que representa cerca de 230 companhias aéreas, responsáveis por 93% do tráfego aéreo internacional. Os preços dos assentos premium (primeira classe e classe executiva) caíram 22% em agosto passado ante igual mês de 2008, enquanto as tarifas da classe econômica diminuíram 18%.

A taxa de ocupação das aeronaves subiu 1,2 ponto porcentual em agosto, para 80,9%. Segundo a Iata, com exceção do Oriente Médio, que registrou alta de 10,8%, todas as regiões tiveram queda na demanda no mês passado, ante agosto de 2008.

A demanda na Ásia-Pacífico recuou 1,6%, enquanto na Europa declinou 2,8% e na América do Norte caiu 2,5%. Na América Latina, a confiança do consumidor, prejudicada pelas preocupações com a gripe suína, está se recuperando. Ainda assim, a demanda na região diminuiu 2,3%. A África teve o pior desempenho, com recuo de 4,9% na demanda.

A demanda para frete caiu 9,6% em agosto. As companhias da Ásia-Pacífico, que representam 44% do mercado global de frete, registraram queda de 9% no mês passado. As empresas da América do Norte e da Europa tiveram melhora no mês, mas a tendência permaneceu negativa. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
aviaçãotráfego aéreoIata

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.