André Dusek/Estadão
André Dusek/Estadão

Transações correntes têm, em julho, primeiro déficit em quatro meses

Resultado ficou negativo em US$ 3,404 bilhões no mês passado; Investimentos diretos no País somaram US$ 4,093 bilhões

Fabrício de Castro, O Estado de S.Paulo

23 Agosto 2017 | 11h59

BRASÍLIA -  Após o superávit de US$ 1,330 bilhão em junho, o resultado das transações correntes ficou negativo em US$ 3,404 bilhões no mês passado, informou nesta quarta-feira (24) o Banco Central. Foi o primeiro resultado negativo após quatro meses consecutivos de superávits. A instituição projetava para o mês passado déficit em conta de US$ 5,6 bilhões.

O resultado efetivo ficou dentro do levantamento realizado pelo Projeções Broadcast, que tinha intervalo de déficit de US$ 5,5 bilhões a déficit de US$ 1,04 bilhão (mediana negativa de US$ 3,35 bilhões). A estimativa do BC, atualizada no último Relatório Trimestral de Inflação (RTI), é de que o rombo externo de 2017 seja de US$ 24,0 bilhões.

A balança comercial registrou saldo positivo de US$ 6,056 bilhões em junho, enquanto a conta de serviços ficou negativa em US$ 3,007 bilhões. A conta de renda primária também ficou deficitária, em US$ 6,597 bilhões. O chefe-adjunto do Departamento Econômico do Banco Central, Renato Baldini, afirmou que o principal destaque do setor externo brasileiro segue sendo a balança comercial, que teve o melhor resultado para o mês na série histórica.

"O déficit em conta em julho foi causado por um fator sazonal, que é o pagamento de juros. Foram pagos US$ 4,5 bilhões em juros em julho, mas isso não se repetirá em agosto", disse Baldini. Ainda assim, ele pontuou que o déficit em conta em julho foi o menor para o mês desde 2009.

Investimentos diretos.  Os Investimentos Diretos no País (IDP) somaram US$ 4,093 bilhões em julho. Pelos cálculos do Banco Central, o IDP de julho indicaria entrada de US$ 5,0 bilhões.

No acumulado de 2017 até julho, o ingresso de investimentos estrangeiros destinados ao setor produtivo soma US$ 40,364 bilhões. Já a estimativa do BC para este ano, atualizada no último Relatório Trimestral de Inflação (RTI), é de US$ 75,0 bilhões de IDP.

No acumulado dos últimos 12 meses até julho deste ano, o saldo de investimento estrangeiro ficou em US$ 84,499 bilhões, o que representa 4,37% do Produto Interno Bruto (PIB).

Lucros e dividendos.  A remessa de lucros e dividendos de companhias instaladas no Brasil para suas matrizes foi de US$ 2,077 bilhões no mês passado. A saída líquida representa um volume maior que os US$ 1,612 bilhão que foram enviados em igual mês do ano passado, já descontados os ingressos.

No acumulado de janeiro a julho deste ano, a saída líquida de recursos via remessa de lucros e dividendos alcançou US$ 10,833 bilhões. O total é superior ao registrado em igual período do ano passado, quando as remessas foram de US$ 9,488 bilhões. A expectativa do BC é de que a remessa de lucros e dividendos deste ano some US$ 24,5 bilhões.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.