Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Transações correntes têm superávit de US$ 1,761 bi em agosto

As transações correntes do Brasil com o exterior foram superavitárias em US$ 1,761 bilhão em agosto, de acordo com dados divulgados pelo Departamento Econômico (Depec) do Banco Central. "O principal destaque foi o superávit de US$ 3,4 bilhões na balança comercial, que pelo quarto mês seguido ultrapassou a US$ 3 bilhões", destacam os técnicos do BC, em nota. No ano, o superávit em conta corrente acumulado pelo País foi de US$ 7,990 bilhões, o equivalente a 2,16% do Produto Interno Bruto (PIB). No acumulado nos últimos 12 meses, as transações correntes brasileiras com o exterior acumulam um superávit de US$ 9,536 bilhões, o correspondente a 1,77% do PIB no período.A conta "capital e financeira" do balanço de pagamentos brasileiro registrou um déficit de US$ 2,926 bilhões em agosto, elevando para US$ 6,156 bilhões o déficit acumulado no ano. O balanço, como um todo, registrou um resultado negativo de US$ 519 milhões. No ano, entretanto, o resultado acumulado do balanço é positivo em US$ 990 milhões.Os investimentos estrangeiros diretos atingiram o valor recorde de US$ 6,089 bilhões, mas foram bastante influenciados pela operação de troca de ações da AmBev. "O resultado (do IED em agosto) situa-se bem acima da média mensal e reflete a operação de troca de ações entre empresas residentes e não-residentes, no montante de US$ 4,9 bilhões", explicam os técnicos do BC. De janeiro a agosto, o volume de IED ingresso no País foi de US$ 11,734 bilhões. Os investimentos brasileiros no exterior atingiram o montante de US$ 6,917 bilhões, também reflexo da operação de troca de ações realizada no mês passado. Em termos líquidos, portanto, o investimento direto ficou negativo em US$ 827 milhões no mês passado. Superávit de US$ 100 milhões nas transações correntes em 2005O Banco Central estima que as transações correntes do Brasil com o exterior em 2005 acumularão um superávit de US$ 100 milhões. O dado consta das projeções oficias do BC sobre as necessidades de financiamento do País para o próximo ano. O diretor de Assuntos Especiais e interino de Política Econômica do BC, Eduardo Loyo, está comentando as projeções. Em termos comerciais, o BC estima que a balança de 2005 fechará o ano com um superávit de US$ 24,5 bilhões. As exportações somarão US$ 94,5 bilhões e as importações US$ 70 bilhões. Em termos de amortizações, a estimativa do BC é que serão gastos US$ 30,2 bilhões, com o pagamento de empréstimos de médio e longo prazos. Em termos de investimentos estrangeiros diretos, a equipe do BC estima que ingressarão no País em 2005 um total de US$ 14 bilhões desse tipo de investimento.Dívida externaA dívida externa brasileira fechou o primeiro semestre de 2004 em US$ 204,67 bilhões. De acordo com os dados do Depec, a dívida externa de médio e longo prazos somou US$ 185,735 bilhões, enquanto que a de curto prazo fechou em US$ 18,935 bilhões. Em junho de 2003, o endividamento externo do País estava em US$ 218,853 bilhões.

Agencia Estado,

22 de setembro de 2004 | 11h39

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.