Transbrasil consegue decisão judicial favorável

A Transbrasil obteve uma vitória em sua briga judicial com a General Electric, que pediu a falência da empresa em meados de 2001. Em sentença publicada nesta quarta-feira, a juíza Ana Paula Dias de Costa, da 4ª Vara Cível da Comarca de Jabaquara, reconheceu que o pedido de execução de falência foi feito em cima de pelo menos uma nota promissória já paga, no valor de US$ 870 mil. A Transbrasil sempre alegou que tinha pago à GE cerca de US$ 22 milhões, mas a GE não reconhece o pagamento.O pedido de falência, que se seguiu à retirada de seis aviões que a multinacional americana tinha em contrato de leasing com a Transbrasil, levou a companhia aérea a parar de operar em dezembro de 2001. Os processos referentes as demais notas promissórias ainda tramitam na Justiça. Na Nota em que divulgou e comentou a decisão judicial, os advogados do Transbrasil disseram que existe um outro laudo pericial já realizado em ação que tramita na 22ª Vara Cível de São Paulo demonstrando que outras seis notas promissórias cobradas pelo Grupo GE da Trabsbrasil estão quitadas. Segundo a nota, a Transbrasil está confiante no provimento do recurso administrativo para a retomada da sua condição de concessionária de serviços de transporte aéreo e da retomada de suas atividades.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.