coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

Transbrasil discute transferência de ações

Dezenas de funcionários da Transbrasil fizeram hoje, na sede da empresa, em Congonhas, a primeira reunião com os membros da Fundação Transbrasil. A entidade passou a controlar a companhia desde que a família do fundador, Omar Fontana, doou a maioria das ações da empresa, a custo zero. O presidente da Fundação, Sérgio Borges da Costa, não disse aos funcionários os nomes dos bancos que, segundo ele, estão negociando um aporte de US$ 500 milhões na empresa.Segundo nota divulgada hoje à imprensa, a Fundação quer finalizar o processo de transferência das ações e submeter o plano de retorno à Curadoria de Fundações. Ainda não há uma data para a realização da Assembléia Geral Extraordinária que definirá os novos membros do conselho e diretoria. A Transbrasil tem cerca de 1.000 empregados, que não recebem salário desde setembro. A dificuldade de recolocação em outras companhias aéreas, por causa da crise geral no setor, faz com que algumas pessoas continuem indo à Transbrasil até hoje, embora a companhia esteja até com os telefones fora de operação. Ela tem dívidas de R$ 1 bilhão, está parada desde dezembro e teve seu lugar no mercado ocupado pela Gol e outras companhias. O Departamento de Aviação Civil (DAC) não retirou a concessão da empresa, embora já tenha, por lei, esse direito. A empresa tem seis aviões próprios: três Boeings 767-200 e três Brasília. Mas eles foram arrestados pela Justiça para o pagamento da dívida trabalhista.

Agencia Estado,

07 de junho de 2002 | 20h04

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.