Transferência de pessoal da Volks começa em setembro

A Volkswagen confirmou que vai comunicar hoje a 3.933 empregados suas transferências para uma unidade de negócios, que já existe dentro da empresa, intitulada Instituto Gente a partir de 1º de setembro. Segundo a Volks, essas pessoas fazem parte de um grupo de profissionais excedentes das unidades do ABC e Taubaté (SP).Segundo a empresa, esses funcionários passarão por um período de treinamento e qualificação profissional que lhes permita obter uma atividade fora da montadora. Os treinamentos serão em diversos setores: mecânico, eletrônico, metalúrgico, design e outros. Ainda de acordo com a empresa, não haverá quebra de contrato e os salários e benefícios continuarão a ser pagos por tempo indeterminado enquanto o empregado estiver no Instituto. Diferentemente do que o Sindicato dos Metalúrgicos do ABC informou, essas pessoas serão avisadas pessoalmente pelas chefias durante todo o dia de hoje e continuarão a trabalhar normalmente em agosto. À repórter Cleide Silva, o Sindicato havia dito que a direção da Volkswagen iniciaria hoje, às 14 horas, a entrega das cartas aos funcionários que serão afastados da montadora e transferidos para a Autovisão ? empresa que vai buscar novas atividades para os 3.933 trabalhadores que serão informados da transferência. Paralelo a isso, a empresa esclareceu que iniciará a implantação da Autovisão, divisão baseada em iniciativa da Volks da Alemanha, cujo objetivo será atrair investimentos públicos e privados, gerar negócios e realocar funcionários excedentes. Segundo a empresa, este processo deve durar até setembro.AcordosAcordos em vigor garantem estabilidade até fevereiro de 2004 para os metalúrgicos de Taubaté e até novembro de 2006 para os de São Bernardo. O presidente do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, José Lopez Feijóo, afirmou ser contra a transferência sem o consentimento dos empregados. Uma assembléia geral dos trabalhadores para discutir o caso está marcada para a próxima segunda-feira, às 14 horas, na fábrica da Anchieta, em São Bernardo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.