NYT
NYT

ESG

Coluna Fernanda Camargo: É necessário abrir mão do retorno para fazer investimentos de impacto?

Transformers voltam às origens com robôs descomplicados

Japonesa Hasbro vai continuar fabricando robôs complexos para o público conquistado nas últimas três décadas, mas vai lançar versões mais simples para as crianças

The New York Times,

20 de janeiro de 2014 | 16h23

NOVA YORK - Quando a japonesa Hasbro criou sua linha de brinquedos 'Transformers', há 30 anos, o conceito era simples: robôs que transformam-se em veículos mais rápido do que você poderia imaginar.

A marca evoluiu e os brinquedos ficaram mais complexos, e algumas dezenas de passos passaram a ser necessários para completar a transformação.

Aos olhos de Brian Goldner, presidente-executivo da Hasbro, a complexidade tirou um pouco da magia dos Transformes. "Fizemos robôs incrivelmente sofisticados", disse ele. "Mas, como os quebra cabeças de mil peças, a dificuldade atrapalha".

Mesmo satisfeito com o enorme orçamento de três filmes inspirados nos Transformers, Goldner decidiu que é necessário regressar às raízes. Ele desafiou sua equipe de design para repensar os robôs.

Agora, no 30º aniversário da marca, a Hasbro está revelando um novo olhar para os brinquedos, incluindo manobras simples que completam a transformação com o apertar de um botão ou com um movimento do pulso.

O remake da linha, que inclui nova marca e embalagens, pretende coincidir com o lançamento da Paramount Pictures do quarto filme da franquia: "Transformers: era da extinção".

Volta às origens. Os varejistas poderão ver pela primeira vez a nova linha na Feira de Brinquedos de Londres, esta semana.

A Hasbro vai continuar a fazer Transformers complexos para os fãs adultos que conquistou nas últimas três décadas.

Mas o novo projeto tem a intenção de voltar a envolver os pais e crianças, que preferem Transformers menos complexos.

O movimento para reduzir a complexidade dos brinquedos estende-se para a identificação da marca. Agora, todos os brinquedos de Transformers virãosob um logotipo único.


Marketing. "O design da embalagem foi reduzido para enfatizar o brinquedo e a sua característica de ação, deixando o máximo de espaço possível para destacar os personagens", disse Jonathan Newkirk, o gerente de marca criativa para os Transformers.

 

"Estes não são necessariamente os truques baratos de marketing", disse Newkirk. "Isso é algo que é mais profundo, estamos buscando uma identidade de forma muito organizada"

Joshua Cordeiro, diretor da linha de brinquedos da Hasbro, afirma que a reformulação da marca prepara o cenário de longo prazo da companhia. Os brinquedos começam a chegar ao varejo em maio, poucas semanas antes do lançamento do filme.

A Hasbro prepara uma grande campanha de marketing que incluirá anúncios na televisão e nos cinemas, bem como em plataformas digitais e celular.

 

Hollywood. Goldner começou a bater na porta de Hollywood para vender a ideia dos Transformers em 2003, chamando a atenção de vários produtores, incluindo Steven Spielberg. O primeiro filme, lançado em 2007, fez mais de US$ 700 milhões e alavancou as vendas dos brinquedos.

Em 2006, um ano antes do primeiro filme foi lançado, a marca Transformers rendia US$ 100 milhões anuais. Em 2012, as vendas quase dobraram, mas os brinquedos respondiam apenas por 79% da receita. O restante vinha de novas áreas como mídias digitais, filmes e programas de televisão, além do licenciamento.

Os filmes, que, juntos, renderam US$ 3 bilhões nas bilheterias, levantaram as vendas de de brinquedos.

A receita de vendas e licenciamento totaliza US$ 1,6 bilhão em três anos com a ajuda dos filmes. Mas as vendas caem em anos sem lançamento de novos filmes.

Em 2011, o último ano de um filme Transformers, a receita na categoria dos meninos da Hasbro foi de US$ 1,8 bilhão, com alta de 35% sobre o ano anterior. Mas, no ano seguinte, a receita na mesma categoria caiu 13%.

O novo visual deve ajudar a impulsionar as vendas no varejo, disse o especialista Jaime M. Katz, analista da consultoria Morningstar."Os brinquedos eram muito mais simples, há 30 anos", disse ele. "Tudo precisa evoluir, e os brinquedos também devem abordar a necessidade de gratificação instantânea buscado pelas crianças de hoje", explicou.

Tudo o que sabemos sobre:
HasbroTransformersbrinquedos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.