Transgênico: corretora terá de rotular milho

O Procon do Rio Grande do Sul entregou ontem uma notificação à corretora Serra Morena que obriga a empresa a informar a quantidade, qualidade e destinação que dará a duas mil toneladas de milho transgênico importado da Argentina. A empresa terá 48 horas, contadas a partir de hoje, para fornecer os dados. Se descumprir a determinação, estará sujeita a multa diária de R$ 50 mil. O coordenador do Procon gaúcho, Ben-Hur Rava, disse que a Serra Morena deve separar o produto para que ele possa ser identificado. O órgão exige a rotulagem dos alimentos produzidos a partir de componentes transgênicos. A Serra Morena adquiriu parte de uma carga de 11,3 mil toneladas de milho geneticamente modificado. A outra parte do lote pertence à Avipal, que recebeu notificação semelhante do Procon. O produto foi liberado por decisão judicial para uso como ração animal.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.