Transportadora não resiste à concorrência dos Correios. Vai fechar

A transportadora Total Express, especializada em entregas rápidas de pequenos volumes, anunciou que será fechada dentro de 30 dias. Ela tem sede em São Bernardo do Campo (Grande SP) e frota de 100 veículos.O diretor da empresa, Antônio César Godoy, afirmou que não se trata de falência, nem concordata: é uma liquidação mesmo. "Os acionistas avaliaram que o Total não tinha mais condições de prosseguir porque vinha tendo muitos prejuízos", declarou, sem revelar as perdas e o endividamento da empresa. Segundo ele, a transportadora vai quitar todas as suas obrigações com clientes e as dívidas trabalhistas em no máximo 45 dias. Os veículos, na maioria vans, irão para leilão.Fundada em 1993 pela família Monteiro, do Rio, a Total tem 12 filiais e 300 funcionários. Ela é atualmente controlada pelos grupos JP Morgan e GP Investimentos, que há dois anos compraram as ações dos antigos proprietários, que passaram a ser minoritários.Segundo Godoy, no ano 2000, quando fez acordo com o GP, a Total chegou a prever faturamento de R$ 600 milhões até 2004. "A projeção feita na época não se concretizou". Segundo ele, no ano passado a Total perdeu mercado para os Correios. "Não se contava com a atuação mais agressiva dos Correios", disse.A empresa também sofreu com a derrocada das empresas de comércio eletrônico, que respondiam por uma parte importante das entregas da Total. "Há dois anos, as perspectivas para a logística do e-commerce eram muito diferentes", afirmou Godoy.Ele acrescentou que a freada econômica no ano passado também contribuiu para o crescimento dos prejuízos da Total. O executivo admitiu que os administradores chegaram a negociar a venda da empresa para outros investidores. "Mas não saiu negócio".A liquidação da Total foi anunciada aos clientes no último dia 8. Segundo Godoy, a empresa fará um "esforço" para realocar os funcionários em outras companhias. "Não é difícil, pois há muitas empresas carentes de pessoas treinadas em logística", disse.Para ler mais sobre Transportes e Logística, acesse o AE Setorial, o serviço da Agência Estado voltado para o segmento empresarial.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.