Transportadoras brasileiras temem calote argentino

As empresas argentinas têm compromissos atrasados de US$ 20 milhões com transportadoras rodoviárias brasileiras que realizaram serviços de frete. O cálculo é do presidente da Associação Nacional do Transporte de Cargas (NTC), Geraldo Vianna. Segundo ele, por causa do agravamento da crise, há transportadoras que não recebem o pagamento por serviços prestados na Argentina desde outubro, problema que já afeta a saúde financeira das empresas nacionais."Há companhias com até 70% de suas operações voltadas para aquele mercado e que estão com a receita comprometida. Algumas já correm o risco de quebrar", declarou. Cerca de 300 transportadoras brasileiras operam no país vizinho. Segundo o presidente da NTC, os transportadores mandarão representantes para discutir com o governo brasileiro soluções para a liberação de recursos. "Os valores têm de começar a ser liberados nem que seja a conta-gotas", disse Vianna.Leia o especial

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.