Transportadores aceitam acordo e encerram protesto na Argentina

A Federação de Transportadores Argentinos (Fetra) chegou na segunda-feira a um acordo com o governo e deve suspender o bloqueio aos portos da região de Rosário, um dos principais centros mundiais de exportação de grãos.

REUTERS

31 de outubro de 2011 | 20h24

O protesto dos transportadores, iniciado na semana passada na província de Buenos Aires, não chegou a afetar os embarques em Rosário, mas prejudicou o abastecimento de grãos.

"Alcançou-se um acordo, embora ainda restem detalhes a serem vistos", afirmou à Reuters uma fonte sindical, pedindo anonimato. A informação foi confirmada por uma fonte do governo nacional.

O canal de notícias C5N disse que a federação suspendeu o protesto, mas a Reuters não pôde confirmar a informação.

Os donos de caminhões, que pleiteiam tarifas melhores para o frete, bloquearam na semana passada os portos de Bahía Blanca e Quequén, importantes terminais graneleiros no centro-sul da Argentina, e depois ampliaram o protesto para a região de Rosário.

Durante a manhã, os manifestantes impediam o acesso de caminhões com grãos aos portos de San Lorenzo, San Martín e Timbúes, no norte de Rosário, depois de bloquearem os acessos aos terminais na zona sul dessa cidade.

A Argentina é o maior exportador mundial de óleo e farelo de soja, o segundo maior exportador de milho, e um dos maiores fornecedores globais de trigo.

(Reportagem de Nicolás Misculin)

Tudo o que sabemos sobre:
COMMODSARGENTINATRANSPORTES*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.